A onda de mau tempo que atinge a Itália desde domingo (28) causou a morte de dez pessoas até esta terça-feira (30), de acordo com o jornal “Repubblica”.

O país enfrenta a combinação de ventos fortes, chuvas intensas e marés altas.

Sete pessoas morreram na segunda-feira: dois na província de Frosinone, um em Terracina na Província de Latina, um em Nápoles, um em Albisola em Savona, um em Feltre na Belluno e um em San Martino in Badia, na província de Bolzano.

Nesta terça, outros três corpos foram localizados. Uma mulher que morreu em Dimaro, Val di Sole, onde o riacho Meladrio transbordou e dois homens  que morreram em Catanzaro e San Giovanni in Marignano.

 

Veneza

Na segunda-feira (29), a água alcançou um nível histórico em Veneza por causa das chuvas. Às 15h (no horário local), o “acqua alta” (água alta) chegou ao máximo de 156 cm em Veneza.

As habituais passarelas de madeira, que permitem caminhar no seco em caso de inundação, deixaram de ser seguras. A Praça de São Marcos ficou inacessível para os turistas.

Pessoas caminham em Veneza após inundação atingir nível recorde (Foto: Miguel Medina / AFP)

Na história recente da cidade, essa foi a sexta vez que o “acqua alta” superou os 150 cm. Em 1951 chegou a 151 cm; em 1976 a 166 cm; em 1986 chegou a 159 cm; em 2008 ficou em 156 cm e em novembro de 1966 alcançou um nível recorde de 194 cm, segundo a France Presse.

 

 

Fonte: G1 ||

print

Comentários