O I Encontro Internacional dos Atingidos pela Vale reafirma a realização do Ato Público de encerramento do encontro em frente à sede da Vale no Rio de Janeiro. A atividade acontecerá depois do lançamento do Dossiê dos impactos e violações da Vale no Mundo, que ocorreria às 11h no auditório Nelson Carneiro, na ALERJ.
A caminhada é uma manifestação pacífica, que busca dar visibilidade aos fatos concretos que vêm acontecendo à população que vive e sofre com a atuação da mineradora, sejam comunidades próximas, desapropriadas em áreas em que a empresa busca se instalar, seja os trabalhadores e trabalhadoras da empresa.
A expectativa é de que a companhia Vale não reaja com truculência e não impeça a realização de uma manifestação pacífica daqueles que já são por ela tão atingidos diariamente. Também fica a perspectiva de que a empresa, que tanto investe em sua imagem e marketing, não reaja com o uso da força ,como ocorreu na última semana, nas caravanas do encontro, onde casos de espionagem e perseguição assustaram os participantes brasileiros e estrangeiros..
O ato encerrará o I Encontro Internacional dos Atingidos pela Vale, que durou quatro dias e reuniu cerca de 150 representantes de organizações, movimentos sociais, sindicatos e comunidades de Brasil, Canadá, Chile, Argentina, Nova Caledônia, Peru, Equador e Moçambique, além de observadores da Alemanha, Itália, Estados Unidos e França. O objetivo do encontro é consolidar grupos locais que sofrem com os projetos da Vale e construir estratégias comuns para que a empresa seja responsabilizada pelas violações a nível nacional e internacional.
O Ato Público será nesta quinta-feira (15), às 13h, em frente à sede da Vale, na avenida Graça Aranha, 26, Rio de Janeiro.

Imprimir
Comentários