Instaurada na Câmara de Formiga no dia 30 agosto, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a usurpação de cargo público na Prefeitura de Formiga, até agora, ouviu 23 pessoas.
O próximo passo será ouvir a defesa dos alvos da denúncia: o prefeito Moacir Ribeiro da Silva e Marco Aurélio Mansur Sallum que já enviaram para a Comissão a lista de pessoas que irão testemunhar a favor deles.
Como testemunhas de defesa de Marco Sallum foram arrolados todos os secretários dessa administração (15 pessoas ao todo). Já Moacir indicou o Ministro Antônio Andrade; o vice-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais e vice-presidente do PMDB-MG Ivair Nogueira; o chefe de Gabinete, José Terra de Oliveira Júnior; o secretário de Planejamento, Rafael Alves Tomé; o secretário de Fazenda, Antônio Carlos de Alvarenga; o ex-secretário de Planejamento, Nilton Resende de Alvarenga; o ex- superintendente de Assuntos Institucionais da Prefeitura, Sheldon Geraldo de Almeida; o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Formiga (Sintramfor), Natanael Alves Gonzaga e o gerente geral da agência da Caixa Econômica Federal em Formiga, Herivelto Rodrigues Soares.
Ainda não há datas para que as testemunhas comecem a ser ouvidas pelos vereadores que compõem a comissão: Arnaldo Gontijo (presidente), Mauro César (relator) e Luciano Duque (membro e denunciante) e há informações de que algumas testemunhas serão ouvidas, por cartas precatórias o que, deverá retardar ainda mais o andamento da CPI.
Do documento que embasa o pedido de abertura da investigação consta a seguinte justificativa ?O empresário Sr. Marco Sallum estaria constantemente representando o município e assumindo a condição de prefeito, inclusive estaria despachando dentro do Gabinete do prefeito eleito, delegando funções, dando ordens, sem preencher qualquer cargo ou função pública, o que pode, em tese, configurar usurpação de função pública, conduta esta vedada pelo art. 328 do Código Penal Brasileiro?.
Para reunir informações que confirmem ou não as denúncias, foram ouvidos representantes de instituições financeiras, sindicatos e empresas que teriam participado de reuniões do Executivo das quais Marco Sallum também participou ativamente. Funcionários e ex-funcionários da administração também foram convocados e ouvidos.
Já foram ouvidos na CPI
Ivanir Julho da Silveira ? Presidente do Sindicato Rural;
Alderico da Cunha Ferreira ? diretor Financeiro do Sindicato Rural;
Júlio Gontijo Amorim ? Presidente da Cooperativa Agropecuária de Formiga;
Cleb Francisco da Silva ? Presidente do Clube Centenário;
Antônio Claret Melo ? Gerente de Pessoas Jurídicas do Banco do Brasil;
Alexandre Araújo Melo ? Gerente Geraldo Banco do Brasil;
Júlio César Lopes ? Gerente de Pessoas Jurídicas da Caixa;
Herivelto Rodrigues Soares. ? gerente geral da Caixa
Amilton Luiz Vale, ex-secretário de Educação e Comunicação
Rosilene Aparecida dos Santos ? Funcionária efetiva
Sebastião Alves Rangel ? coordenador do Aterro Sanitário
Fabrício Mundim ? artesão e presidente da Asafor;
Alex Arouca ?professor da Rede Municipal e Particular de Ensino;
Cecília Paiva ? funcionária da diretoria de contas Públicas da Prefeitura;
Orlando Silva de Souza ? funcionário do Clube Centenário;
Orlando Rodrigues de Souza ? diretor Administrativo da Cooperativa;
Antônio Eustáquio Paim – Membro do Conselho fiscal da Cooperativa Agropecuária de Formiga e do SinRural;
Alberto Queiroz Soares ? coordenador regional do DER-MG;
Elton Costa Pinto ? assessor parlamentar e membro do PSB local;
Marcelo Rodrigues Nunes ? trabalhou na campanha de Moacir e como pagamento recebeu a nomeação como supervisor do aterro sanitário, já foi exonerado;
José Thiers de Freitas ? radialista e membro do PTB local;
Marcelo Fernandes ? Presidente da Associação de Bairro Amab;
Adalto Francisco Gomes ? Engenheiro da Soenge

Imprimir
Comentários