Após 29 dias de prisão, o médico e ex-provedor da Santa Casa de Caridade de Formiga, Geraldo Couto, poderá ser solto a qualquer momento.

Nessa quarta-feira (27), foi julgado pelo TJMG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais), o mérito do pedido de Habeas Corpus impetrado pela defesa do médico, anteriormente. Os desembargadores decidiram pela concessão do pedido de liberdade e trancamento da ação penal.

O médico foi preso no dia 29 de abril, após a justiça concluir que o mesmo havia descumprido parte das determinações judiciais constantes na sentença que resultou na sua destituição do cargo de provedor e na intervenção da Santa Casa.

 

Redação do Jornal Nova Imprensa

print

Comentários