Nem mesmo Victor, que interrompeu sequência de 51 jogos, viajou para Tombos. O Atlético disputou a segunda rodada do Campeonato Mineiro com uma formação considerada “C”, reserva dos reservas. E pagou o preço na bola. O Tombense, nada a ver com isso, venceu por 1 a 0 no Almeidão. O gol da vitória foi de Juan, experiente lateral com passagem por Flamengo e São Paulo.

Conhecido por ter forte ligação com o empresário Eduardo Uram – a empresa do agente, Brazil Soccer, patrocina o Tombense – o Gavião-Carcará disputa este Estadual com duas figuras conhecidas. Além de Juan, que aproveitou rebote de Cleiton e fez o gol da vitória aos 4 minutos do segundo tempo, o goleiro Felipe, ex-Santos, está no time alvirrubro. 

O Atlético, que tinha as estreias de Martin Rea e o jovem volante Neto, de apenas 16 anos, teve dificuldade de se impor e apresentava uma qualidade técnica abaixo dos adversários. Cleiton teve trabalho no jogo, chegou a errar numa saída de bola, fez outras boas defesas e viu principalmente o uruguaio Rea mais plantado em campo.

Situação parecida de Alerrando. A jovem esperança do Atlético somou mais uma partida apagada e foi sacado ao lado de Bruninho no segundo tempo. Por outro lado, Neto se portou bem numa equipe que a cabeça pensante era o atacante Leandrinho, presente nos principais lances de ataque do Galo. 

Com os titulares descansando visando o clássico contra o Cruzeiro, e os reservas imediatos à espera de uma chance em 2019, o Atlético mostra, logo neste início de temporada, que há muita gente no elenco de mais de 30 jogadores com chances de se despedir do clube antes da chegada dos jogos mais importantes. E o 1 a 0 ainda ficou no lucro, uma vez que teve um pênalti a favor do Tombense ignorado pelo árbitro Emerson de Almeida Ferreira. 

 

 

IMPRIMIR

Fonte:

Hoje em Dia