Por Chico Maia

Surpresa para incrédulos da imprensa, eu inclusive, muitos brasileiros vieram à França para dar força à seleção feminina, comandada pelo técnico Vadão. Gente que veio do Brasil e uma maioria que mora em alguma parte da Europa e se deslocou até aqui para torcer. Só no hotel em que fiquei em Grenoble conheci duas brasileiras se enquadram nestes exemplos. Valéria, pernambucana que mora em Teresina, veio fazer turismo e torcer nos jogos da primeira fase. É a primeira vez dela na Europa e só está decepcionada com o curso de francês que ela fez no Brasil e está tomando bomba no teste por aqui. Segundo ela, parece outro idioma: não está entendendo nem conseguindo falar nada. Mas está adorando a viagem e rasga elogios à gentileza dos franceses, ao contrário do que muita gente fala deles sobre isso.

A gaúcha Lola, essa da foto que ilustra o post, é de Pelotas, mas mora em Munique há quase dois anos. Estudante de moda pegou um ônibus na Baviera e varou a noite até chegar em Grenoble para dar força à seleção. Está gostando de tudo, com elogios especiais ao grande público na estreia do Brasil, que ela não imaginava que fosse tão grande e tão animado. De Grenoble, Lola, que é torcedora do Internacional, vai para Montpellier, para o segundo jogo do Brasil, quinta-feira, 13 horas, contra a Austrália.

Com ela o estudante catarinense de Garopaba, Lucas, que veio do Brasil só para torcer pelo time brasileiro, principalmente por causa da Marta, de quem é fã, que ficou de fora ontem, mas que deve jogar na quinta-feira.

IMPRIMIR