Será suspensa a partir do dia 17 de abril a greve dos trabalhadores da educação estadual, que estão parados desde o dia 15 de março deste ano. A categoria reuniu milhares de servidores em uma assembleia, na tarde desta quinta-feira (6), na praça da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

De acordo com o Sindicato Único dos trabalhadores em educação de Minas Gerais (Sind-UTE/MG), haverá um ato público contra a reforma da previdência depois da reunião. Não há informações se o ato sairá pelas ruas da capital e nem qual será o trajeto do protesto.

Ainda conforme o sindicato, durante a assembleia foi avaliada a negociação com o governo do Estado, a greve nacional da educação e o posicionamento dos educadores e educadoras cotra a reforma da previdência do governo de Michel Temer (PMDB).

A greve é contra a reforma, pelo piso salarial e, em Minas, para que o governo pague os acordos assinados com a categoria por intermédio do Sind-UTE/MG.

Professores municipais

Os servidores da educação de Belo Horizonte, que também estavam em greve após o dia 15 de março, suspenderam o movimento no dia 31 de março. Porém, eles seguem e em estado de greve e, no dia 27 e 28 de abril haverá paralisações pontuais.

print

Comentários