Criado em outubro de 2003 pelo Instituto de Psiquiatria da USP (Ipq-USP), o Programa Reação foi responsável por mudar a vida de muitos pacientes que sofrem de esquizofrenia. Com o objetivo de reinserí-los no mercado de trabalho, o programa trouxe resultados benéficos para a vida dos que possuem o transtorno, fazendo com que eles se sentissem mais úteis na sociedade.
De 2003 a 2010, cerca de 100 pacientes atuaram como estagiários em empresas parceiras do programa. Destes, 42 foram efetivados após o fim do período de experiência, o que mostra que a doença não impede que os pacientes desempenhem funções importantes. Nestas pessoas, os psiquiatras da USP perceberam uma forte redução dos sintomas negativos da doença, como isolamento e apatia.
Podiam ingressar no programa, que atualmente está parado por falta de patrocínio, pessoas que tinham a doença há pelo menos oito anos, tinham iniciado tratamento por volta dos 21 e não sofriam de sintomas como alucinação e perturbação mental. Caso seja encontrado novo patrocinador, o programa vai ser retomado. Pacientes que possuem de outros distúrbios, como bipolaridade e depressão, também devem integrar o programa.

print
Comentários