Nesta manhã, funcionários da Prefeitura fizeram a desmontagem de uma parte do Trailer do Flavinho e, no início desta tarde, com o auxílio de um guincho, eles o transportaram para o interior da Praça do Coreto.
Segundo os proprietários do trailer, eles estão impossibilitados de trabalhar a exatos 30 dias, devido ao fim do prazo dado pelo Ministério Público, por meio de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado com a Prefeitura. O prazo terminou do dia 2 de fevereiro, porém, os estabelecimentos nas imediações da Praça do Coreto continuaram funcionando e o ?Trailer do Flavinho? e outro trailer foram lacrados no dia 9 de fevereiro.
Os proprietários explicam que a transferência de lugar foi feita pela Prefeitura a pedido deles, já que eles não poderiam funcionar no local onde estavam. No interior da Praça do Coreto, eles poderão trabalhar por seis meses, até a construção de quiosques padronizados, conforme projeto aprovado na Câmara na semana passada, que autoriza a construção e uso, por particulares, de bem de uso comum, sendo a praça Maestro José Eduardo ? Praça do Coreto.
Para os proprietários, ?há males que vem para o bem?, pois, no novo local, eles poderão colocar mesas e cadeiras para a clientela e fazer melhorias, já que onde estavam era calçada e não havia espaço para ampliação e nem mesmo para a instalação de banheiros.
Com o projeto aprovado, devem ser feitas algumas construções na Praça do Coreto, como instalações sanitárias masculinas e femininas, posto de observação e vigilância para a Polícia Militar, praça de alimentação dotada de unidades comerciais padronizadas, tipo quiosques.

print
Comentários