Um tremor de terra foi registrado pelo Observatório Sismológico de Brasília (Obsis) em Pará de Minas nesse domingo (26). Segundo moradores da cidade o tremor foi sentido nos bairros Recanto da Lagoa, Santa Edwiges e Eldorado. Não há registro de feridos.

De acordo com o Obsis, o tremor teve intensidade de 1,6 na escala Richter. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros da cidade confirmaram o tremor, mas afirmaram que nenhuma ocorrência foi registrada.

Em nota oficial, publicada em uma rede social, a mimeradora Lamil afirmou que “nenhum tremor e/ou barulho notado na cidade foi causado por qualquer atividade da empresa e que as operações da Lamil não funcionam aos domingos”.

Escala Richter

A escala Richter, desenvolvida originalmente em 1935 por Charles Richter e Beno Gutenberg, do Caltech (Instituto de Tecnologia da Califórnia), é uma forma de medir a magnitude dos terremotos com base nas ondas sísmicas que se propagam a partir do local de origem do tremor no subsolo. Quanto maior a energia liberada pelo terremoto, maior a amplitude do movimento do solo causada por ele, e maior a pontuação na escala Richter.

A escala Richter usa logaritmos como base matemática, o que, na prática, significa que uma variação de apenas um número na magnitude de um terremoto – passando de 7 para 8, por exemplo – na verdade significa um aumento de dez vezes na amplitude. Em relação à energia liberada pelo terremoto, a diferença de um terremoto 7 para um 8 equivale a 32 vezes mais energia.

(Foto: Reprodução/Obsis)

Os efeitos de um terremoto dependem, entre outras coisas, de sua magnitude na escala Richter. Até a magnitude 1,9, por exemplo, só sismógrafos são capazes de detectar o tremor. Os primeiros danos aparecem em magnitudes entre 4 e 4,9, com quebra de janelas e outros objetos. Com magnitudes entre 7 e 7,9, prédios podem sair de suas fundações e rachaduras aparecem no solo.

 

Fonte: G1 ||

Imprimir

Comentários