Minas Gerais tem, hoje, 266 municípios em situação de emergência decretada pelo governo do Estado em função de seca. Isso significa que três em cada dez cidades mineiras (31%) sofrem com a falta de chuvas e problemas de abastecimento de água.

Em Carmo do Cajuru, o distrito de São José dos Salgados, que tem uma população estimada de 5 mil pessoas, entrou nessa quarta-feira (27) em abastecimento intermitente e não receberá água das 9h às 19h, até a finalização de um poço artesiano que está sendo providenciado pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) da cidade. “Nosso prazo é de pelo menos 15 dias para terminar o poço e normalizar o abastecimento”, explica o diretor técnico do Saae de Carmo do Cajuru, Fábio Rabelo Melo. Esse será o quinto poço artesiano construído para abastecer o distrito, uma vez que o açude, que alimentava de água São José dos Salgados, secou.

A prefeitura local decretou, há cerca de 15 dias, que a água da cidade deve ser usada apenas para consumo, humano e moradores que desperdiçarem podem ser multados em R$233,25. “Já recebemos cerca de 60 denúncias desde o decreto. Mas não houve multa porque estamos primeiro notificando as pessoas. A multa é só na reincidência”, explica Melo. O diretor descarta um racionamento no município, mas informa que o reservatório que abastece a cidade está com cerca de 20% de sua capacidade preenchida.

Na mesma região, Bom Despacho também está fazendo rodízio de abastecimento. O município decretou situação de emergência no último dia 15. Na cidade, não chove há 106 dias. A Copasa informou que, para resolver o problema na cidade, está perfurando quatro poços e distribuindo 675 mil litros de água tratada por meio de carretas e caminhões-pipa.

Segundo o secretário executivo da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), no Norte de Minas, Ronaldo Mota Dias, nos 93 municípios que formam a associação, as regiões rurais são abastecidas por caminhões-pipa. “Na parte urbana, pelo menos 20 municípios também recebem água dessa forma. Em Varzelândia, o caminhão-pipa tem que viajar 200 km para captar água”, diz Ronaldo. Em Paracatu, no Noroeste, o rio Paracatu, um dos maiores afluentes do São Francisco, está seco. “O rio está só com um ‘filetinho’ de água. Era um rio em que passava barco a vapor. A cidade está em racionamento de água, tem bairro que está há cinco dias sem água”, contou o morador da cidade Eduardo Pimentel, 44.

Confira a lista das cidades em situação de emergência aqui.

 Chuvas chegando?

 Belo Horizonte e região. Depois de 107 dias sem chover, pancadas de chuva atingiram na quarta-feira (28) alguns pontos da capital mineira e de cidades da região metropolitana. A chuva, segundo o meteorologista Claudemir Félix, do ClimaTempo/PUC Minas, deve continuar na região no fim de semana.

Outras regiões do Estado. As chuvas que chegaram à capital devem afetar o Triângulo Mineiro, o Alto Paranaíba, o Sul de Minas, a Zona da Mata e o Centro-Oeste, diz Claudemir.

Na próxima semana. O meteorologista informa que a partir de terça-feira d (3), as chuvas podem chegar ao Leste e ao Norte do Estado. A precipitação deve melhorar a umidade do ar, mas não afeta o quadro de seca da região.

 

Fonte: O Tempo ||

Imprimir

Comentários