O prêmio Nobel de Química foi atribuído em conjunto ao francês Jean-Pierre Sauvage, o britânico Fraser Stoddart e o holandês Bernard Feringa pela invenção das minúsculas “máquinas moleculares”, anunciou o júri nesta quarta-feira (5).

Os três vencedores “conduziram os sistemas moleculares para estados nos quais, ao serem preenchidos de energia, podem controlar seus movimentos”, explicou o júri do Nobel.

“O motor molecular está hoje na mesma fase que o motor elétrico nos anos 1830, quando os cientistas exibiam várias manivelas e rodas, sem saber que isto conduziria aos trens elétricos, às máquinas de lavar, aos ventiladores e aos processadores de alimentos”, completa.

“As máquinas moleculares serão muito provavelmente utilizadas no desenvolvimento de objetos como os novos materiais, os sensores e os sistemas de armazenamento de energia”, explicou o júri do Nobel.

O prêmio de 8 milhões de coroas (832.000 euros) será dividido entre os três. No ano passado, o Nobel de Química foi concedido a Aziz Sancar (Turquia/Estados Unidos), Paul Modrich (Estados Unidos) e Tomas Lindahl (Suécia) por suas pesquisas sobre a reparação do DNA.

A categoria Química foi a última dos Nobel científicos a ser anunciada este ano.

Na terça-feira (4), os britânicos David Thouless, Duncan Haldane e Michael Kosterlitz venceram o Nobel de Física por suas pesquisas sobre os estados “exóticos” da matéria, que no futuro poderia ajudar a criar computadores quânticos.

O Nobel de Medicina foi atribuído na segunda-feira (3) ao japonês Yoshinori Ohsumi, por seus estudos sobre regeneração celular.

 

 

Fonte: O Tempo ||http://www.otempo.com.br/capa/mundo/trio-vence-o-nobel-de-qu%C3%ADmica-pela-inven%C3%A7%C3%A3o-de-m%C3%A1quinas-moleculares-1.1381602

print

Comentários