TST manda Furnas substituir terceirizados por concursados
O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Rider Nogueira de Brito, manteve a decisão que determina que a estatal Furnas Centrais Elétricas S.A, ligada ao Ministério de Minas e Energia, substitua os terceirizados por funcionários concursados. A substituição dos terceirizados foi determinada pela 8ª Vara do Trabalho de Brasília (DF) em duas ações civis públicas movidas pelo Ministério Público do Trabalho. Por causa da decisão, os trabalhadores nesta situação haviam entrado em greve em janeiro.A estatal, então, ajuizou dissídio coletivo de greve no TST. No dia 21 de janeiro, o ministro Rider de Brito suspendeu a determinação de que a empresa substituísse os terceirizados (na época, cerca de 45% dos funcionários se encontravam nessa situação) até o julgamento do dissídio coletivo. No dia 4 de abril, o presidente do TST revogou a suspensão. ?Aquela decisão teve por finalidade criar um ambiente propício ao encontro de uma solução consensual para o conflito e permitir às partes buscar uma solução negociada, juntamente com o Ministério Público do Trabalho.?

print
Comentários