Começa neste sábado (19) uma campanha nacional de conscientização sobre a importância do diagnóstico precoce da Hepatite C, doença que pode permanecer anos assintomática. Estima-se que um em cada 30 brasileiros tenha a doença, mas desconhece. A mobilização irá acontecer até 26 de maio, com ações em rede nacional e eventos de rua no Rio de Janeiro e em São Paulo. Em Minas Gerais, a Associação Mineira dos Portadores do Vírus das Hepatites (Amiphec) prepara uma campanha voltada para a região do Vale do Jequitinhonha.
Perdi o meu marido por causa dessa doença. Ele demorou a descobrir o caso e, com isso, teve as complicações que o levaram à morte, conta a aposentada Ruth Peixoto Domingues, 74, que fundou a Amiphec há 14 anos. No vale do Jequitinhonha, o grupo aplicou testes em mais de 12 mil pessoas, em 11 cidades, e encontrou dez infectados.
De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (SES), o número de casos de Hepatite C diminuiu de 883, em 2010, para 541, em 2011 – queda de 38,7%. No entanto, muitas pessoas ainda não sabem que estão infectadas e continuam vivendo alheias ao problema. Para a médica Rosângela Teixeira, do departamento de química médica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o pico da doença no Estado e no Brasil ainda está para ocorrer. Ela é uma doença silenciosa. Muitas pessoas não sabem que a tem. Por isso, é importante campanhas e a divulgação cotidiana sobre o assunto. É essencial que as pessoas façam exames, afirmou.
Segundo a especialista, a doença tem cura, e os pacientes precisam ser persistentes e otimistas ao quadro. O tratamento atual, gratuito, é longo, e é preciso saber que o processo é desgastante, mas, com comprometimento, tudo fica mais fácil. Quanto antes descobrir, melhor.
Campanha nacional
O lançamento da campanha será às 18h, no alto do Corcovado, no Rio de Janeiro. A estátua do Cristo Redentor será iluminada em amarelo e vermelho, cores que representam a doença. Durante toda a semana, no local do evento, uma equipe de enfermeiros realizará, gratuitamente, o teste de HCV na população. Em São Paulo, ações também serão realizadas em estações de ônibus e metrô. A iniciativa é da Associação Brasileira dos Portadores de Hepatite (ABPH).

Imprimir
Comentários