O culto obsessivo ao corpo e o excesso de vaidade não são típicos apenas das mulheres. Pelo contrário, a busca por um físico perfeito também atinge os homens, que se preocupam, e muito, com a aparência. E para alcançar o resultado desejado com mais facilidade e rapidez, muitos jovens optam pelo uso dos esteróides anabolizantes.
Não é de hoje que alguns atletas usam anabolizantes com o objetivo de melhorar a performance, mas foi nos últimos dez anos que o abuso dos esteróides se disseminou entre frequentadores de academias sem nenhum interesse em participar de competições esportivas, unicamente para melhorar a aparência física.
Os esteróides anabolizantes, conhecidos apenas como anabolizantes, são medicamentos à base de hormônio masculino testosterona com as características anabólicas (crescimento) e adrogênicas (caracteres sexuais masculino). Existem cerca de 20 tipos de anabolizantes para uso oral ou injetável.
Quando os anabolizantes são utilizados deliberadamente, é comum aparecerem lesões dermatológicas típicas de acne – principalmente na face -, atrofia dos testículos, calvície, impotência sexual, diminuição do número e da motilidade dos espermatozoides, redução do volume de esperma ejaculado, ginecomastia (crescimento das mamas em homens), masculinização das mulheres e alterações na tolerância à glicose que podem desencadear quadros de diabetes em indivíduos predispostos.
Além disso, pode causar hepatite, já que é o fígado que digere os anabolizantes. Com o excesso dessas susbstâncias, o órgão fica sobrecarregado, gerando uma hepatite medicamentosa, a causa mais comum de morte pelo uso de esteróides anabolizantes.

Imprimir
Comentários