A nova forma encontrada por algumas cooperativas de táxi para avisar os motoristas sobre a solicitação de corridas tem aumentado o risco de acidentes. Quando usam o celular, que avisa por mensagem o pedido feito pelo passageiro, os condutores acabam descumprindo normas do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Num universo de quase 6.000 carros rodando em Belo Horizonte atualmente, pelo menos 300 taxistas têm feito uso dos equipamentos eletrônicos durante as corridas.
Um dos motoristas, que não quer se identificar, procurou a Associação Mineira de Medicina do Tráfego (Ammetra) para denunciar que não teve outra opção a não ser usar o aparelho para receber o aviso das corridas mesmo durante as viagens. A Ammetra confirma que a manipulação do aparelho pelos motoristas com os veículos em movimento é um risco para eles e também para os passageiros.
Há pelo menos duas cooperativas que assumiram a adoção do serviço, e elas admitem a dificuldade em aliar modernidade e segurança. Ao longo dos anos, a única forma que as cooperativas tinham de acionar os motoristas era por meio dos rádios de comunicação instalados nos painéis dos carros.
Nos novos aparelhos, o profissional recebe todas as informações da viagem e, para aceitar ou dispensar a corrida, é preciso dar os comandos, manualmente, o que causa distração, segundo o taxista que faz a reclamação. A gente tem que mexer no aparelho, ver as observações das corridas, por exemplo, se vamos buscar uma encomenda, se tem que levar troco. E dizer se aceitamos ou não. O profissional disse que a cooperativa não dá outra opção. Se não usarmos o aparelho, não nos passam a corrida.
O uso de equipamentos que auxiliem os motoristas com imagens e indicação de trajetos é permitido pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). Uma resolução do órgão explica que os dispositivos poderão orientar os condutores sobre as condições das vias e ajudar em manobras do veículo. A assessoria de imprensa do Denatran esclareceu, no entanto, que nenhum aparelho pode ser utilizado pelo motorista se, para manuseá-lo, for necessário tirar uma das mãos do volante com o carro em movimento.

print
Comentários