Por Priscila Rocha 

A mesa administrativa da Santa Casa de Caridade de Formiga realizou, na manhã desta segunda-feira (4), uma coletiva de imprensa para explicar sobre a situação da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal.

Os atendimentos na unidade foram suspensos por tempo indeterminado e, de acordo com o segundo secretário da mesa, o médico obstetra Carlos Eduardo Senne de Moraes, se o Governo do Estado não repassar todos os valores atrasados, a UTI Neonatal fechará definitivamente.

A equipe médica da unidade está desde maio sem receber os salários. No dia 20 de novembro os profissionais comunicaram à mesa administrativa a decisão de encerrar as atividades.

A UTI Neonatal possui oito leitos e, após a decisão da equipe médica, a unidade começou a transferir os pacientes para outros hospitais. Na sexta-feira (1°), a última paciente foi transferida e os trabalhos foram paralisados.

Na quinta-feira (30), o deputado federal Jaime Martins/PSD anunciou o envio de uma emenda parlamentar para custeio no valor de R$750 mil para a Prefeitura de Formiga. O deputado propôs que a verba fosse investida na UTI Neonatal.

De acordo com Carlos Eduardo, mesmo se esse repasse chegar nas próximas semanas, não resolverá o problema da unidade. “Estamos com salários atrasados dos profissionais de diversos setores. Se recebermos essa verba, ela será empregada de forma isonômica. Além disso, a equipe médica da UTI está decidida a parar”, declarou.

Em setembro desse ano os atendimentos da UTI foram paralisados e só foram retomados após acordo da equipe médica com o hospital, o que não foi cumprido.

A Santa Casa alega que não conseguiu cumprir o acordo devido aos atrasos nos repasses constantes da Rede Cegonha, que estariam atrasados desde janeiro deste ano; e da Rede Urgência e Emergência. A administração ressaltou, ainda, que não recebe os recursos do Estado desde setembro, entre outros convênios, totalizando cerca de R$800 mil.

A dívida total da Santa Casa com os médicos é de R$1.583.800,20. A mesa administrativa da entidade de saúde assumiu o hospital há dois anos, após o término da intervenção judicial, com uma dívida de R$16 milhões. De acordo com Carlos Eduardo, a dívida da Santa Casa hoje está em R$6 milhões.

Na segunda-feira passada (27), uma comitiva formada por membros da mesa administrativa do hospital, prefeito e vereadores de Formiga esteve em Belo Horizonte para tentar negociar a dívida do governo com o hospital. A comitiva foi recebida pelo secretário adjunto do Estado de Saúde, Naldo Sebastião Moreira da Cruz, que foi categórico ao dizer que o Estado só poderá repassar as verbas atrasadas no ano que vem, com a arrecadação do IPVA.

Foto: Priscila Rocha/Última Notícias

Cartão de Vantagens

Uma saída encontrada pela Santa Casa para resolver a grave crise financeira que enfrenta foi a criação do “Cartão de Vantagens Santa Casa”.

Com a parceria de algumas empresas do município, o hospital oferece desconto em consultas médicas, exames e no comércio.

O valor de adesão ao programa é de R$19,90 e a mensalidade R$24,90. Uma das vantagens do programa é o valor das consultas em urgência e emergência que custará R$99, desconto de 20% em consultas especializadas e 15% em diversos exames.

O programa conta com cerca de 140 colaboradores e, de acordo com o hospital a meta é chegar a 10 mil contribuintes.

Fotos: Priscila Rocha

Imprimir

Comentários