Conforme publicado no jornal Nova imprensa, na edição 873, no início deste mês, não havia vacina antitetânica disponível no Pronto Atendimento Municipal (PAM), e em boa parte dos Postos de Saúde de Formiga.
Por ser de responsabilidade do Sistema Público de Saúde, a disponibilização das vacinas, a Secretaria de Saúde, por meio da Secretaria de Comunicação explicou que as doses estavam em falta na área da Superintendência Regional de Saúde que é a encarregada de distribuir a vacina ao município. ?A vacina está em falta na área da Superintendência Regional de Saúde. A pedido da Secretaria Municipal de Saúde, a superintendência já requisitou novas doses à Secretaria de Estado de Saúde. Enquanto isso, a secretaria está avaliando a possibilidade de remanejar doses de uma unidade de saúde para outra?.
Após duas semanas, o problema não foi resolvido, a falta da vacina dT, que previne a difteria e tétano continua faltando nos PF’s e no PAM. A redação do jornal entrou novamente em contato com a Secretaria de Saúde e a Secretaria de Comunicação explicou sobre a falta da vacina: ?A Secretaria de Estado da Saúde permanece com dificuldades para adquirir a vacina. Por isso, não fez o repasse à Superintendência Regional de Saúde, encarregada de distribuir as doses aos municípios. As vacinas do setor público são produzidas por laboratórios específicos e inspecionados por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI). Pelos critérios desse programa, a Secretaria Municipal de Saúde é impossibilitada de fazer essa compra por si própria. Assim que as vacinas chegarem à cidade, a informação será amplamente divulgada?.
Com a total falta das doses, fica impossibilitada, no município, a imunização regular e casos de acidentes.
A vacina dT, que previne a difteria e tétano, pode ser aplicada em crianças a partir de 7 anos de idade e adultos. O esquema inicial são 3 doses com intervalo de 60 dias entre elas. Após esse esquema, um reforço deve ser realizado a cada 10 anos. Em caso de gestantes e ferimentos graves o intervalo para esse reforço cai para 5 anos.
É importante manter a vacinação em dia, pois o uso de vacina e/ou soro contra o tétano na ocasião de acidentes com ferimentos deve ser orientado com base na história pregressa de vacinação antitetânica relatada pelo paciente ou seu responsável e pelo tipo de ferimento ocorrido.

Imprimir
Comentários