A Vale informou nesta terça-feira (1) que o pagamento emergencial aos atingidos pelo rompimento da Barragem B1, em Brumadinho, será prorrogado por três meses, contando a partir deste dia 1º de junho. A mineradora seguirá efetuando o pagamento nos mesmos moldes atuais até, no máximo, o final de agosto de 2021, de forma não renovável, quando ocorre o fim do período de transição.

Finalizado este prazo, a Vale depositará, em juízo, o valor referente ao acordado para o Programa de Transferência de Renda, deduzidos os valores dos pagamentos emergenciais e seus custos operacionais a partir de junho de 2021. A partir de então, a utilização dos recursos e a operacionalização dos pagamentos pelo Programa de Transferência de Rendas ficarão a cargo das instituições de justiça.

Atualmente, o benefício, que teve início em fevereiro de 2019, atende mais de 100 mil pessoas, de acordo com a Vale. Com isso, o pagamento emergencial ultrapassa R$ 1,7 bilhão em investimentos realizados. Têm direito ao repasse mensal todas as pessoas residentes em Brumadinho ou em até 1 km do leito do Rio Paraopeba.

O Programa de Transferência de Renda integra o Termo de Medidas de Reparação firmado entre a Vale, as Instituições de Justiça e o governo de Minas, em fevereiro deste ano.

O acordo, de R$ 37 bilhões, reforça o compromisso da Vale com a reparação integral dos danos ambientais e sociais decorrentes do rompimento da Barragem B1, em Brumadinho. 

A barragem B1 da Mina Córrego do Feijão se rompeu no dia 25 de janeiro de 2019. Ao todo, 270 pessoas morreram, sendo que 10 ainda não foram encontradas.

Fonte: Itatiaia

print
Comentários