O rompimento de rejeitos da mineradora Vale contaminou rios e córregos da região Central de Minas e chegou a região metropolitana. As águas das cidades de Itabirito, Ouro Preto e Congonhas foram as principais atingidas. O rompimento ocorreu no domingo (12), as causas do problema ainda não foram esclarecidas.

“Temos um grupo de monitoramento do Rio das Velhas que percebeu a mudança na cor da água. Uma equipe nossa foi então até a mina da Vale em Ouro Preto para investigar o problema e viu os funcionários consertando o duto”, contou o secretário de Meio Ambiente de Itabirito, Antônio Marcos Generoso.

Segundo ele, primeiro foi atingido o Córrego Prata que em seguida passou para o Córrego Almas, depois contaminou o Ribeirão Mata Porcos que se transforma no Rio Itabirito. Na cidade de Itabirito não houve problemas no abastecimento porque a água é captada de afluentes. Também não houve muitas mortes de peixes apesar da turbidez da água. A contaminação contribuiu para o assoreamento do rio.

O secretário explicou ainda que a contaminação poderia ter ficado pior, já que o Rio Itabirito deságua no Rio das Velhas, que abastece Belo Horizonte e a região metropolitana. “Nós avisamos a Copasa e deu tempo de agir para não comprometer o abastecimento”, contou Generoso. Na quarta-feira (15), a água da cidade está com a cor amarelada.

A Vale informou que presta esclarecimento aos órgãos ambientais e apura as causas para o rompimento. A mineradora disse ainda que o rompimento já foi solucionado.

 

Fonte: O Tempo ||

Imprimir

Comentários