As vendas de etanol hidratado em maio deste ano atingiram a casa dos 142,8 milhões de litros em Minas Gerais – volume 170,46% maior se comparado ao mesmo mês de 2014.

 No acumulado deste ano foram comercializados 548,6 milhões de litros do produto, o que significa um crescimento de 86,49% em relação a igual período do ano passado, quando foram vendidos 294,1 milhões de litros. Os dados são os últimos divulgados pela Associação Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Apesar do grande consumo de maio, o volume de vendas não atendeu às expectativas do setor, que esperava em torno de 170 milhões de litros para o mês. “As vendas em relação a abril de 2015 mantiveram-se estáveis”, avaliou o presidente do Sindicato da Indústria de Fabricação do Álcool no Estado de Minas Gerais (Siamig), Mário Campos. Segundo ele, o consumo no Estado, em função das dificuldades econômicas, deverá se manter em torno dos 140 milhões de litros, o que considerou bom para o mercado mineiro.

Na avaliação do diretor de produção da Usina Coruripe, Carlos Marques, o momento é de favorecimento do consumo de hidratado, fato que não acontecia desde 2009/2010. “A relação preço do hidratado/gasolina está em torno de 63%, Nesse período, de 2010 até 2015, o preço do etanol se manteve deprimido pela decisão do governo federal de subsidiar a gasolina através da Petrobras, com objetivo de controlar a inflação, ocasionando prejuízos enormes ao Brasil. Acreditamos que o consumo de etanol do Brasil irá subir ainda mais em 2015/2016, levando a direcionar o mix da nossa produção para o etanol”.

 

A redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) incidente sobre o etanol hidratado, de 19% para 14%, também tornou o preço do combustível renovável mais competitivo em Minas.

O Tempo Online

print
Comentários