As vendas do Natal deste ano foram 3% maiores do que as do ano anterior, segundo balanço da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), divulgado nesta sexta-feira (26). Quando descontada a inflação, esse crescimento cai para 1,5%

O resultado, o menor crescimento registrado nos últimos 10 anos, é reflexo do crescimento do número de malls. Foram 25 novos empreendimentos inaugurados ao longo do ano. Mas, também, da desaceleração da economia e da estagnação do poder de compra das famílias.

Já a pesquisa da Serasa Experian, que tem por base as consultas para proteção às operações de crédito, mostra queda de 1,7% no volume de vendas do Natal na comparação com igual período do ano passado. O levantamento foi feito do dia 18 ao dia 24 e o resultado apurado foi o pior desde o Natal de 2003.

Black Friday

Segundo o presidente da Alshop, Nabil Sahyoun, em dezembro houve uma mudança no comportamento do consumidor que antecipou suas compras com a promoção da Black Friday e, ao longo do ano, houve um aumento das vendas pela internet, o que acabou se refletindo em uma redução de 7% no fluxo de pessoas nos shoppings na véspera do Natal.

Além disso, a Copa do Mundo, a dificuldade para obtenção de crédito, associada ao aumento dos juros e da inflação, também ajudaram a derrubar as vendas.

?Não foi um ano bom para a indústria de shopping. Tivemos perda de faturamento por conta das eleições, da Copa, da política econômica e até dos rolezinhos?, disse Sahyoun, referindo-se aos encontros de adolescentes marcados em shoppings, que acabaram em tumultos.

Troca de presentes

A médica Helga Sartori, 41, e suas filhas Júlia, 9, e Laura 6, voltaram nesta sexta-feira (26) ao Boulevard Shopping, na avenida dos Andradas, para realizar a troca de alguns presentes e aproveitaram o passeio para fazer compras para a viagem de final de ano.

Ela conta que na semana que antecedeu ao natal foi a quase todos os shoppings da capital aproveitando as folgas que tinha no trabalho e que, além dos produtos como vestuário e calçado estarem muito caros, ainda notou os shoppings bem mais vazios na comparação com o movimento do ano passado.

?Durante todo o mês notei que estavam vazios, e só nesta última semana é que vi um maior movimento?.

Os principais shoppings de Belo Horizonte e cidades vizinhas foram procurados pelo Hoje em Dia e nenhum deles tinha balanço de vendas do Natal.

Lojistas fazem liquidações para aproveitar movimento extra

Aproveitando o movimento de troca de presentes, os lojistas se anteciparam e, nesta sexta-feira (26), um dia após o Natal, grande parte das vitrines já estava adesivada com anúncios de promoções, liquidações e queima dos estoques de Natal. O período tradicional das liquidações começa em janeiro e se estende até o final de fevereiro.

A movimentação de consumidores foi intensa nos principais shoppings e o clima de feriado garantiu lojas cheias. Os descontos vão a até 50% em roupas de cama, mesa e banho, itens de vestuário e perfumaria, eletrônicos, entre outros, que tem a intenção de atrair o consumidor que deixou as compras para depois do Natal, aguardando boas ofertas.

Expectativa

Para 2015, as expectativas não são as melhores para o comércio lojista. O presidente da Alshop, Nabil Sahyoun, estima que as vendas brutas não devem superar os R$ 143 bilhões registradas em 2014, principalmente por conta dos fatores negativos previstos para economia em 2015, como a contenção de investimentos, o aumento de impostos e os desdobramentos do escândalo na Petrobras.

Para Sahyoun, o desempenho ruim pode indicar que os shoppings tenderão a enfrentar mais problemas com alta de vacância. Na avaliação dele, lojistas de menor porte (lojas satélite) não se sentem incentivados para investir em lojas novas. A Alshop estima que hoje a média da vacância em shoppings em operação esteja em 10% e Sahyoun estima que esse número pode se aproximar de 12% em breve.

Comércio eletrônico

Realidade muito diferente à dos shoppings vive o comércio eletrônico. As compras do comércio eletrônico no período de Natal renderam R$ 5,9 bilhões, o que corresponde a um crescimento de 37% em relação ao verificado no mesmo período do ano passado, de acordo com a E-bit, empresa especializada em informações sobre o setor, que apurou os dados referentes a pedidos realizados de 15 de novembro a 24 de dezembro de 2014.

print
Comentários