O vereador de Belo Horizonte Ronaldo Batista (PSC) foi preso nesta quinta-feira (15), na avenida Tancredo Neves, região da Pampulha.

 Ele é investigado por participação no assassinato de Hamilton Dias de Moura, vereador de Funilândia, na região Central de Minas. O mandado de prisão preventiva foi cumprido pela Polícia Civil.

O crime ocorreu em julho deste ano na avenida Amazonas, na capital. A Justiça decretou sigilo no inquérito e, por isso, os investigadores são proibidos de passar detalhes sobre o caso.

 Ronaldo Batista foi conduzido para a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde prestará esclarecimentos.

De lá, o suspeito deve ser transferido para uma unidade prisional. O advogado Humberto Acioly, que representa Batista, informou que ainda não sabe o motivo da prisão e, por isso, não irá se posicionar. O defensor seguiu para a delegacia para acompanhar o depoimento do cliente.

A Câmara Municipal de BH disse que o processo não tem correlação com o mandato do vereador e, por isso, não vai se manifestar.

O caso

Quatro pessoas, dentre elas um soldado e um ex-policial penal, já foram presas suspeitas de envolvimento na morte de Hamilton Dias de Moura. O corpo do político foi encontrado com marcas de tiro na avenida Amazonas, bairro Gameleira, na região Oeste da capital.

Em agosto, a Polícia Civil deflagrou uma operação e cumpriu 21 mandados de busca e apreensão na capital, em cidades da Grande BH e do Centro-Oeste de Minas. A motivação do crime está sendo apurada, mas uma das hipóteses é que o homicídio pode estar relacionado com questões sindicais.

Ronaldo foi presidente do Sindicato dos Motoristas e Empregados em Empresas de Transportes de Cargas de BH e Região (STTRBH), enquanto Hamilton era diretor do Sindicato dos Motoristas e Empregados em Empresas de Transportes de Cargas e Logística de BH e Região (Simeclodif).

Fonte: Hoje em Dia

 

Imprimir
Comentários