O vereador Marcelo Fernandes/PCdoB apresentou durante a reunião semanal do Legislativo, nessa segunda-feira (10), o resultado da fiscalização realizada por ele na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Formiga, durante cinco dias.

O objetivo do vereador foi acompanhar os plantões médicos e averiguar denúncias a respeito da demora e descaso no atendimento à população.

Segundo falas e registros de Marcelo, ele se deparou em alguns dias da fiscalização com filas gigantescas que chegavam a ter 100 pessoas. “É uma situação que beira o caos. Corredores lotados de pacientes esperando para serem medicados, assentados em cadeiras danificadas, equipamentos em más condições ou em número menor que o necessário para o atendimento da demanda. Situações como estas são inaceitáveis, pois a população espera por horas pelo devido atendimento”, relatou.

O vereador considerou gravíssima outra situação por ele constatada: o fato de os dois médicos de plantão pararem ao mesmo tempo para o almoço. O vereador fez um vídeo mostrando os consultórios vazios enquanto vários pacientes aguardavam por atendimento e informou que, segundo relatos, a situação é rotineira.

Em outra ocasião, Marcelo presenciou o momento em que um dos médicos gozava do período de descanso e o segundo profissional de plantão se encontrava nas dependências da Santa Casa de Caridade, fazendo com que o plantão médico da UPA permanecesse descoberto.

Outra constatação apontada pelo vereador e por ele considerada gravíssima é a de que os médicos recebem representantes de laboratórios farmacêuticos e empresas de equipamentos médicos durante o horário de trabalho. “Para receberem os representantes dos laboratórios, os médicos interrompem o ciclo de consultas e permanecem por longo tempo nos consultórios. Um verdadeiro absurdo”, salientou Marcelo.

Ao fim de sua fala, o vereador informou que todas as informações por ele coletadas de irregularidades no atendimento já foram devidamente repassadas para o secretário de Saúde, Leandro Pimentel, a quem ele acionou ainda quando estava na UPA.

Além de dar ciência à administração sobre as irregularidades que constatou, o vereador afirmou que não descarta a possibilidade de repassar a denúncia ao Ministério Público, em sua curadoria de Saúde, caso não veja uma solução imediata para os problemas apontados.

Por fim, diante da informação de que não existe uma diretriz para regular os horários de descanso, café e almoço dos médicos, o vereador pediu que tal regulamento seja preparado pela Secretaria de Saúde e que, no mesmo, conste que é indevido que os profissionais médicos recebam representantes comerciais durante o cumprimento de seus plantões.

“Esta situação em nossa saúde não pode continuar, vou buscar soluções e cobrar do Executivo as devidas medidas para que este descaso não continue; a população pode contar comigo”, encerrou Marcelo Fernandes.

– Foto: Divulgação assessoria Marcelo Fernandes

– Foto: Divulgação assessoria Marcelo Fernandes

Diante dos problemas que constatou, o vereador pediu a presença do secretário de Saúde, Leandro Pimentel na Upa, para cientificá-lo e buscar soluções – Foto: Divulgação assessoria Marcelo Fernandes

Outra denúncia

No dia 31 de maio, o Últimas Notícias publicou fotos e informações repassadas por uma acompanhante que durante dois dias havia estado com o pai na Upa.

Cadeiras rasgadas e quebradas, suporte para soro e o chão sujos de sangue foram alguns dos problemas relatados naquela ocasião.

– Foto: Divulgação

– Foto: Divulgação

– Foto: Divulgação

IMPRIMIR