A Polícia Civil cumpriu, na manhã desta terça-feira (28), mandados de busca e apreensão em sete endereços relacionados ao vereador Marcelo Pires Rodrigues, o Marcelo da Cooperseltta (MDB), incluindo o gabinete do parlamentar na Câmara Municipal de Sete Lagoas, na região Central do Estado. O vereador é suspeito de prática de rachadinha – situação em que um parlamentar exige parte do salário de seu assessor. 

Além disso, a investigação pode ter relação com o esquema de empréstimos consignados da Câmara Municipal de Sete Lagoas. Marcelo iniciou o cargo em janeiro de 2017 e tem mandato até dezembro deste ano. O vereador, que está em viagem de férias no exterior, é conhecido por ter sido presidente da empresa de ônibus Cooperativa Setelagoana de Turismo e Transporte Alternativo. 

De acordo com informações do portal Sete, em Sete Lagoas, a operação teve início por volta das 8h e envolveu cerca de 20 agentes, em maioria de Belo Horizonte. Segundo a Polícia Civil, além do gabinete na Câmara, os policiais apreenderam documentos na casa do parlamentar e em outros cinco endereços relacionados às investigações de crimes praticados contra a Administração Pública.

Toda a ação foi chefiada com o apoio da delegada do setor de inteligência da Delegacia Regional de Sete Lagoas, Daniela dos Santos Silva, sob o comando do Delegado Domiciano Monteiro de Castro Neto, da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção de Minas Gerais.

A Polícia Civil informou que apresentará mais detalhes sobre o caso em coletiva de imprensa nesta terça-feira (28), em Belo Horizonte. A reportagem entrou em contato com a defesa do vereador, com a Câmara de Sete Lagoas e com a Cooperseltta e aguarda retornos. 

 

Fonte: Hoje em Dia ||
Imprimir
Comentários