Por Priscila Rocha – Últimas Notícias

No sábado (1º) viralizou nas redes sociais, em especial nos grupos de WhatsApp, em Formiga, a informação de que o vereador Mauro César estaria recebendo “mensalinho” de uma madeireira do município.

Conforme a postagem, o atual presidente do Legislativo estaria auferindo um “pagamento/retribuição” pela aprovação da doação de imóvel à sociedade empresária Eco Reciclagem Empresa de Destinação de Resíduos Sólidos Ltda. A postagem ainda informa que Mauro César é registrado como funcionário da mesma empresa.

Em entrevista exclusiva ao Últimas Notícias o vereador desmentiu os boatos e disse que já está tomando as providências judiciais cabíveis.  Ele negou qualquer participação no quadro societário da empresa e confirmou ser funcionário da mesma desde 2017. “Nunca me apresentei como sócio da empresa citada. Sou contratado como relações públicas da Embrader, empresa responsável por dar a destinação correta a pneus inservíveis”.

Minha carteira de trabalho foi assinada no dia 9 de janeiro de 2017, e sou o encarregado de captar os pneus inservíveis junto a empresas de diversas cidades. “Sou responsável pela aquisição de pneus, os quais são triturados e enviados para queima em indústrias cimenteiras como CRH, em Arcos, Votorantin, em Itaú de Minas e a Liz em Varginha. Trabalhamos com logística reversa”.   

Em relação ao salário mínimo apontado na postagem como “mensalinho”, Mauro afirmou que se trata da remuneração inerente ao cargo que exerce na Embrader. “O ordenado que recebo é o salário comumente pago na área comercial. Isto pode oscilar de acordo com a minha produção medida conforme a tonelagem captada”, explicou o edil.

Doação de imóvel

Em relação ao imóvel doado para a empresa no bairro Distrito Industrial, Mauro César informou que a doação do lote ocorreu por meio de chamamento público. Conforme o vereador, a doação foi baseada na Lei nº 5176 de 10 de julho de 2017, referente à política de incentivos, o Programa de Incentivo ao Desenvolvimento Econômico de Formiga (Pró-Formiga).

“Minha participação nesta doação se deu apenas na conversa que tive com o prefeito Eugênio Vilela referente à importância de se manter a empresa neste município. Na época, o proprietário da Eco Reciclagem recebeu propostas de diversas cidades da região, todas interessadas em abrigar a empresa. A falta de investimentos em empresas é uma reclamação constante da população formiguense que reivindica mais empregos em Formiga. Atualmente, a Eco Reciclagem emprega cerca de 20 funcionários” disse Mauro que frisou : “quem doa imóveis às empresas atraídas para Formiga é o Executivo. A doação para a Eco Reciclagem foi uma  negociação havida  entre o empresário e o prefeito e ocorreu por meio de um processo natural, devido á magnitude dos investimentos feitos pela empresa”.

Segundo Mauro a empresa recebeu uma área de cerca de 15 mil metros quadrados e deverá iniciar, neste ano, a construção das novas instalações. “A empresa está apenas aguardando a liberação do alvará para iniciar a construção”.

 Ação judicial

Mauro César afirmou que a postagem que viralizou nas redes sociais não passa de um boato, totalmente sem fundamento, contra o qual  ele já está tomando as providências cabíveis.

Sobre a acusação de que o vereador teria recebido doações da empresa por possuir um vínculo empregatício, o vereador afirmou que foram feitas dentro da legalidade.  “As doações que recebi do empresário responsável pela empresa citada e de seus sócios foram públicas e constam no site da Justiça Eleitoral. Todos os recebimentos foram transparentes e aprovados conforme a lei”.

Confira na íntegra a postagem que circulou nas redes sociais e deu origem a diversos comentários:

“Empresário flagrado agredindo verbal e fisicamente empregado em Formiga, tem “relações estreitas, suspeitas e duvidosas” com vereador e atual presidente da Câmara Municipal municipal de Formiga.

O empresário BRUNO RODRIGUES DA COSTA PEREIRA foi beneficiado com a doação de 2 terrenos da Prefeitura de Formiga, na qual teve intensa “colaboração” pelo vereador e atual presidente da Câmara Municipal de Formiga MAURO CESAR ALVES SOUZA para a aprovação do, à época, projeto de lei..

Até aí nada de mais. O problema é que o vereador está recebendo o denominado “mensalinho” do empresário, em troca de ter atuado na aprovação da LEI Nº 5247, DE 09 DE MARÇO DE 2018 que Autorizou o Município de Formiga a doar imóvel à sociedade empresária ECO Reciclagem Empresa de Destinação de Resíduos Sólidos Ltda., para ampliação de suas atividades empresariais. Segundo comprovação do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS, obtidas por meio do CNIS – CADASTRO NACIONAL DE INFORMAÇÕES SOCIAIS, o vereador é registrado como “empregado” recebendo um salário mínimo na empresa ECO Reciclagem Empresa de Destinação de Resíduos Sólidos Ltda, que recebeu os imóveis da prefeitura como doação de propriedade do empresário BRUNO RODRIGUES DA COSTA PEREIRA.

As relações entre vereador e empresário remontam ao ano de 2010, tendo o vereador já concedido a honraria medalha seis de junho ao empresário no ano de 2017. O recebimento do “mensalinho” pelo vereador do empresário, funciona como forma de pagamento/retribuição pelo “empenho” na aprovação da lei municipal que doou os dois terrenos ao empresário, o que configura IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA E CRIME CONTRA A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. ESSE É O NÍVEL DE DETERMINADOS POLÍTICOS DE FORMIGA…”

print
Comentários