A manhã de segunda-feira (23) foi de ?muita dor de cabeça? para algumas pessoas na cidade e que sofreram com os estragos causados pela forte chuva que caiu na noite de domingo (22).
Uma dessas pessoas foi o vereador José Aparecido Monteiro (Zezinho Gaiola) que passou a manhã retirando terra (solidariamente) do quintal de uma residência localizada na rua João Paulo I, 136, no bairro São Luís.
A casa em questão, recém-construída, está localizada ao lado de um barranco que, com a forte chuva, desabou no quintal da residência, provocando um alagamento em seu interior. Porém, o problema maior não está na casa invadida pela terra e sim na residência vizinha que fica acima do barranco e ao que parece, corre risco de desabar.
De acordo com a moradora da residência, Helena Veloso, o proprietário da nova casa mandou nivelar o terreno e ao terminar a construção, não fez um muro de arrimo para conter o barranco. ?Desde quando começaram a mexer no lote e afundar o terreno, eu pedi para tomarem cuidado com minha casa?, informou Helena. Ela disse ainda que já recorreu a Defesa Civil, mas não obteve êxito. ?Fui várias vezes na Defesa Civil solicitar que dessem uma olhada no barranco e tomassem alguma providência antes que perco minha casa, mas eles dão prioridade apenas para os mais afortunados e nós, que somos pobres, somos jogados de lado, até que o pior aconteça?, desabafou a moradora.
Uma equipe do portal esteve no local e acompanhou o trabalho do vereador Zezinho Gaiola que colocou a ?mão na massa? e declarou que estava apenas ?dando uma forcinha?, pois ele ajudou a construir a residência para uma família carente e fez questão de frisar, que os beneficiados não eram seus parentes.
O vereador informou ainda que havia pedido aos funcionários da empresa Comercial JK para passarem uma máquina no local, desbastando o barranco, pois a casa por ele construída, se houver desmoronamento de terra, corre sério risco de cair. Indagado sobre a residência vizinha, Zezinho disse que a mesma não corre risco de desabamento, mesmo com a correção que pretende fazer no barranco.
Mas conforme verificou a equipe do portal e segundo explicações de Helena, a residência dela está a menos de 3 metros da parte que desabou e se passarem a máquina, conforme sugerido pelo vereador, ela garante que sua casa poderá vir ladeira abaixo.
Informado sobre a situação, pelo portal, e tomando conhecimento das declarações de Helena, o secretário executivo da Defesa Civil, José Lopes do Couto esteve no local e, após análise da área, declarou que para desbastar o barranco, como sugeriu o vereador Zezinho Gaiola, será necessário um estudo mais aprofundado, feito por um engenheiro. ?Esse caso extrapola meus conhecimentos, vou solicitar a Secretaria de Obras para que envie um engenheiro para analisar o caso. Apenas após um laudo, a área será liberada para que o reparo necessário seja feito?, informou José Lopes.
Referindo-se à declaração de Helena, José Lopes disse que as solicitações feitas na Defesa Civil são atendidas conforme a ordem de chegada e levando-se em consideração a prioridade: ?Não deixamos de atender os pedidos dos moradores, apenas seguimos uma ordem?.

Imprimir
Comentários