Por Paulo Coelho

O entorno da praça Francisco Balbino de Almeida, no Engenho de Serra, próximo ao Centro Social Urbano (CSU) se transformou em um“estacionamento a céu aberto”, abrigando carretas e outros veículos de grande porte.

Segundo os moradores, a movimentação de veículos tem ocorrido durante as 24 horas do dia e, durante a madrugada, é grande o barulho de motores das carretas que aceleram suas máquinas para poderem, algumas delas, manter em funcionamento o equipo que gera ar condicionado para os baús carregados de produtos que exigem refrigeração.

Fotos: Paulo Coelho/Últimas Notícias

Desde o início de 2017, segundo documentos que foram exibidos, o vereador Sandromar Vieira (Sandrinho da Looping/PDT) tem oficiado a administração municipal, solicitando providências do Departamento de Trânsito, no sentido de se proibir o uso inadequado daquele espaço público.

“Basta a colocação de placas proibindo naquele local o estacionamento de veículos pesados. Com esta providência de baixo custo e fácil de ser incrementada, as reivindicações da vizinhança, representadas pelas centenas de assinaturas encaminhadas à Prefeitura como abaixo assinado dos moradores [reclamantes] estariam atendidas”, disse o vereador, que também mostrou o que tem ocorrido com o calçamento das vias que contornam a praça. Ali, de forma bem visível, se vê que os danos causados são resultantes do peso excessivo das carretas que fazem com que o calçamento poliédrico se movimente e crie buracos (valas) no piso de rolamento, em especial junto às guias das calçadas.

Foto: Paulo Coelho/Últimas Notícias)

Na tarde desta terça-feira (27), o vereador esteve no local, prestando contas aos moradores e mostrando farta documentação por ele encaminhada reiteradamente à Secretaria de Obras e ao Departamento de Trânsito, desde o ano passado, solicitando providências.  “Como não obtive êxito, estou lhes comunicando que irei me dirigir ao Ministério Público, pois conforme todo mundo sabe, o problema de trânsito é o menor, mas sem dúvida é o causador da perturbação do sossego, que me parece, tem que ser resolvido com urgência”.

Segundo se ouviu de uma das moradoras, que inclusive, gravou um vídeo com o vereador que está circulando nas redes sociais, o entorno da praça, muitas vezes, tem sido indevidamente utilizado como banheiro público por parte dos carreteiros e acompanhantes que por ali ficam estacionados por horas seguidas.

Mais queixas:

A falta de cuidados por parte da administração municipal, no que toca à manutenção e limpeza da praça pública, também foi objeto de críticas por parte de moradores que, vendo a movimentação do vereador e da própria imprensa, acorreu ao local.

Foto: Paulo Coelho/Últimas Notícias

 

O que diz a Prefeitura:

Foto: Gleiton Arantes

O Últimas Notícias ouviu o secretário de Obras, José Ronaldo do Couto, que respondeu sobre o assunto: “realmente faz tempo que o vereador tem insistido neste caso. Já dialogamos sobre isto e lhe expliquei que juntamente com o Departamento de Trânsito estamos estudando uma solução mais definitiva e eficaz. O fato de proibir o estacionamento de carretas ali, não resolve, pois, certamente elas irão parar mais adiante, sabe-se lá, a quantos metros. Aí, estaremos só mudando o problema de local. Se tivéssemos no município um Centro de Distribuição (CD) seria fácil exigir que apenas veículos menores e mais leves, do tipo ¾, descessem ao centro para descarregar. Mas, como não temos este equipamento e não podemos inviabilizar o comércio e a indústria, que precisam ser abastecidos, geram emprego, renda e pagam impostos, temos que ir contornando as coisas. Mas, amanhã mesmo este assunto volta à pauta e …vocês sabem, no município para se adquirir algo simples como uma placa, demanda, além de recursos, tempo e um trâmite burocrático enorme. Porém, logo teremos uma solução. Entendo as críticas do vereador, acho que ele tem até uma certa razão e a gente que está do lado de cá, na administração, tem que aprender a lidar com isto tudo. O frio às vezes é grande e mesmo com o cobertor sendo bem curto, temos que nos virar”, disse.

Projeto proposto

O vereador verificando que este problema é recorrente em diversos locais públicos da cidade está encaminhando um anteprojeto na tentativa de regulamentar a prática, defendendo prioritariamente os interesses da população, em especial no que tange ao respeito às normas estabelecidas pela chamada “Lei do Silêncio”.

Em resumo, o projeto prevê a proibição de carretas ou caminhões acima de 8 toneladas estacionarem no entorno de praças e jardins, salvo em casos especiais como: mudança, descarga destinada a concretagem ou de descarga rápida de mercadorias.

Os veículos acima de 14 toneladas ficam proibidos de estacionarem em locais públicos onde existam residências particulares, respeitando o horário de 20h às 7h do dia seguinte.

 

print

Comentários