Na semana passada, foi anunciada pelo presidente da Câmara Municipal, Reginaldo Henrique dos Santos (Dr. Reginaldo/PCdoB,) a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para investigar a gestão da saúde em Formiga. O presidente informou que já tinha as assinaturas de sete dos dez vereadores (não assinaram Rosimeire Mendonça/PMDB, Mauro César de Sousa/PMDB e Gonçalo Faria/PSB) e que, nesta segunda-feira (13), iriam votar a criação da CPI.
Entretanto, os vereadores cederam ao pedido da administração municipal e recuaram na decisão por pelo menos 30 dias. Dr. Reginaldo alega que houve uma forte pressão do Executivo sobre os sete vereadores que assinaram o documento para a instauração da CPI e que, apenas um vereador retirou sua assinatura, segundo o presidente do Legislativo, por questões partidárias, já que Edmar Ferreira é do PT, mesmo partido do prefeito Aluísio Veloso. ?A gente compreende, não há nenhum demérito do vereador Edmar de ter colocado pra mim a postura dele, que ele retiraria a sua assinatura, mas os demais seis vereadores mantiveram sua postura. E claro que gestão da saúde está no caminho errado, está na contramão?, ressalta Dr. Reginaldo.
Edmar Ferreira disse à redação que sabe dos problemas de saúde porque os vereadores comentam, mas que vão investigar ainda as questões. Ele justifica que seu nome estava no ?famoso? Grupo dos 6 (G6), por isso foi incluído na lista da CPI. Mas que resolveu retirar a assinatura, até porque o Executivo pediu 30 dias para resolver as questões.
?Nós vamos dar esses 30 dias, vamos aguardar o desenrolar dos acontecimentos e, se daqui 30 dias, não for tomada nenhuma medida drástica, porque ou o remédio está na mão dele [do Executivo], ele toma o remédio amargo, ou a Câmara vai ter que tomar um remédio amargo? , dispara Dr. Reginaldo.
Questionado sobre qual seria esse remédio amargo, o presidente do Legislativo disse que seria o Executivo ?deixar de lado as suas preferências, as suas bizarrices de escolha de pessoas inadequadas, perceber que está equivocada a gestão e trocar a secretária, trocar a gestão da saúde. Isso é um remédio amargo, ter que admitir que fez uma má escolha é ruim? , explica o presidente
Dr. Reginaldo salienta que os vereadores estão mostrando que o Executivo está equivocado. ?Nós íamos mostrar isso via CPI, mas ele [o Executivo] pediu 30 dias, então, ele troca essa gestão e toma outros rumos ou a CPI vai demonstrar claramente que ela está equivocada e aí o remédio amargo será via Câmara? .
Caso não sejam solucionadas as questões nesse prazo, o presidente da Câmara afirma que será instaurada a CPI, pois precisa de apenas quatro assinaturas para isso e já tem seis vereadores que apóiam a decisão.

Motivos da CPI

Segundo Dr. Reginaldo, a CPI iria investigar a gestão da saúde em Formiga com base em três focos: os contratos que essa gestão está ou não fazendo com a Santa Casa e o porquê; a gestão de pessoal (recursos humanos) e a gestão de metas. A comissão seria composta por José Gilmar Furtado (Mazinho/DEM) presidente; Cid Corrêa/PR relator e Moacir Ribeiro/PMDB membro.
A redação tentou falar nesta manhã com a secretária de Saúde, Luiza Flora; com o chefe de Gabinete, Sheldon Almeida; com o Secretário de Comunicação, Túlio Fonseca, e com o ouvidor municipal, Elton Costa para pegar mais esclarecimentos sobre o assunto, mas, até o momento, não conseguiu contatar um representante da administração para se pronunciar sobre o assunto.

print
Comentários