Os vereadores da cidade de Córrego Fundo aprovaram na reunião do Legislativo desta semana, o aumento de 35% nos próprios subsídios para 2017.

A população lotou o plenário da Câmara para acompanhar a votação, mas a pressão popular não foi suficiente e o projeto de lei foi aprovado por 5 dos 9 vereadores. Votaram a favor do aumento dos subsídios os vereadores José Antônio Gonçalves/PSDB, Jose Antônio Teixeira Neto/PSDB (Zezinho), Daniela Cristina de Faria/PSL (Daniela do Anselmo), Edson José de Castro/ PSL (Kalango) e Rafael Alves de Faria/PMDB (Rafael do Belosca).

José Antônio Gonçalves, Jose Antônio Teixeira Neto (Zezinho), Jose Rafael da Silveira (Rafael do Belosca), Edson José de Castro (Kalango) e Daniela Cristina de Faria (Daniela do Anselmo) (Fotos: Câmara de Córrego Fundo/Montagem UN)

Com o reajuste, os vencimentos dos vereadores passarão de R$3.600 para R$4.910. Dos cinco vereadores que votaram a favor do projeto, quatro tentarão a reeleição: José Antônio Gonçalves/PSDB, Jose Antonio Teixeira Neto/PSDB (Zezinho), Jose Rafael da Silveira/PMDB (Rafael do Belosca) e Edson José de Castro/ PSL (Kalango).

Indignados com a aprovação do projeto, os corregofundenses resolveram se mobilizar pelas redes sociais e acionarão o Ministério Público para tentar reverter o reajuste que consideram abusivo.

Em Formiga

Em Formiga, como de costume, a mesa administrativa da Casa apresentou, em fevereiro, o projeto de lei 397/2016 que previa revisão geral do subsídio pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) em 10,3%. O projeto previa também, reposição e reajuste salarial nos salários de cargos comissionados e efetivos, além de aumento no vale alimentação que passaria de R$ 430 para R$ 500.

Caso aprovado, os subsídios dos vereadores passariam de R$ 6.491 para R$ 7.100, mas devido a pressão popular, o artigo que previa o aumento foi retirado do projeto e os vereadores votaram apenas o reajuste salarial dos servidores da Casa.

 

print

Comentários