Durante reunião do Legislativo formiguense na segunda-feira (24), o presidente da Casa, Evandro Donizeth da Cunha (Piruca), informou que termina no  dia 4 de setembro, o prazo para que os vereadores aprovem ou reprovem as contas da administração municipal de 2013. O problema é que um grupo de vereadores deseja que antes da votação, seja feita uma minuciosa auditoria nas contas do município de janeiro de 2013 até agora.

O pedido para a contratação de uma empresa auditora foi formalizado essa semana e contou com a assinatura dos vereadores José Geraldo da Cunha (Cabo Cunha), Mauro César Alves de Souza, Manoel Messias (Pastor Manoel), Arnaldo Gontijo de Freitas (Arnaldo da Nasa) e Luciano Duque (Luciano do Trailer).

Os gastos com a contratação de uma empresa auditora deverão ser pagos pela própria Câmara, mas Piruca informou que, segundo foi apurado pelos profissionais da Casa, o serviço custaria de R$300 mil a R$400 mil. “Não temos condições de arcar com esse valor”, afirmou o presidente.

Os cinco vereadores, que desejam que a auditoria ocorra, estiveram nesta terça-feira (25), na sede do Tribunal de Contas do Estado (TCE), para sugerir a extensão do prazo para a votação das contas do Executivo.

De acordo com o vereador Cabo Cunha, a reunião foi produtiva e apesar de serem informados que a aprovação das contas poderia ocorrer normalmente e, posteriormente, ser realizada a auditoria, ele não votará a favor da aprovação. 

Os vereadores foram informados ainda, que não havia nenhum pedido de análise aprofundada das contas e que o TCE precisa ser provocado para a realização de auditoria. “Na próxima terça-feira (1º), o vereador Mauro César voltará a Belo Horizonte para entregar toda a documentação necessária para que o Tribunal de Contas realize essa importante análise nas contas. O processo é burocrático e demorado, mas faremos nossa parte”, comentou Cunha.

Sem que haja denúncias, o TCE cumpre apenas o trâmite de analisar as contas enviadas pelo município sobre a aplicação geral das verbas, sem analisar os pormenores dos gastos e é esse detalhamento que desejam os cinco vereadores.

 

Lorene Pedrosa

Imprimir