Uma forte chuva que atingiu diversas cidades das regiões da Zona da Mata e do Campo das Vertentes no final da noite de quarta-feira (12) e na madrugada desta quinta-feira (13) voltou a provocar enchentes, inundações, deslizamentos de terra e até uma viatura do Corpo de Bombeiros chegou a cair de uma ponte que havia sido levada pela chuva no município de Antônio Carlos.

Até o momento, não há registro de desabrigados, desalojados ou feridos. O portal G1 fez levantamento da situação em Juiz de Fora, Tabuleiro, Guiricema, Antônio Carlos, São João del Rei, Barbacena, Santos Dumont, Lima Duarte, Recreio, Oliveira Fortes, Muriaé, Cataguases e Ervália.

Antônio Carlos

Em Antônio Carlos, no Campo das Vertentes, três bombeiros tiveram ferimentos leves após um acidente no Distrito de Sá Fortes.
Segundo a corporação, os militares voltavam de um salvamento quando a viatura caiu de uma ponte, que havia sido levada pela chuva durante a madrugada.
O veículo foi retirado do local por um guincho no início da tarde desta quinta-feira.

No local, os militares também atendem uma ocorrência de inundação de residência no Bairro Santa Edwiges.

Ubá

De acordo com a Prefeitura de Ubá, choveu 50 milímetros nas últimas 24 horas no município. Conforme o Executivo, não houve inundações. Não há moradores desalojados e desabrigados.

Segundo o Corpo de Bombeiros, uma pessoa está desaparecida no Rio Ubá. Os militares realizaram buscas nesta quinta-feira que terminaram por volta das 17h30. Os trabalhos voltam nesta sexta-feira (14).

Oliveira Fortes

A Polícia Militar Rodoviária (PMR) registrou a queda de uma parte da estrada AMG–520, na altura do km 6, em Oliveira Fortes, em decorrência das chuvas.

O local está completamente interditado. Equipes foram enviadas para sinalizar e orientar os motoristas.

Cataguases

A Prefeitura de Cataguases informou que acionou o plano de contingência e que a cidade está em alerta máximo de enchente, com áreas já inundadas e quedas de encostas.

Segundo dados da Agência Nacional de Águas (ANA), entre 20h45 de quarta e 6h15 de quinta foi registrado um acumulado de 82,6 milímetros de chuvas. Às 15 horas desta tarde, o nível do Rio Pomba chegou 6,24 metros.

As aulas em toda a rede municipal foram suspensas nesta quinta-feira por conta das chuvas. Para preservar o mobiliário e demais equipamentos, a Policlínica Municipal suspendeu os atendimentos no final desta manhã.

A Defesa Civil informou que pelo menos cinco ocorrências de deslizamento de barrancos foram registradas. O caso mais grave ocorreu no Bairro São Diniz, com o deslizamento de uma casa situada na Rua Paulo Matoso, em direção à Rua Joaquim de Oliveira Martins. Três casas foram interditadas.

Também foram registradas quedas de encostas nos bairros Pouso Alegre, Granjaria, Pouso Alegre e Haidee, além da queda de um muro de obra em construção, no Bairro Bandeirantes. Em nenhuma das ocorrências houve registro de feridos.

A Administração Municipal comunicou pelas redes sociais para que população que mora em áreas ribeirinhas deixem as casas, já que há risco mais alagamentos.
São João del Rei

Em São João del Rei, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), foi registrado um acumulado de chuva de 165,4 milímetros, desde o final da noite de quarta-feira até o início da manhã de quinta-feira.

Diversos pontos de alagamento e inundações foram registrados em ruas do Centro e de bairros. Até a última atualização desta reportagem os bombeiros informaram que não havia registro de feridos.

A Rua Araraquara, no Bairro Parque São João del Rei, ficou completamente alagada e a água invadiu diversas casas. Os militares tiveram que retirar uma moradora do local, de idade não informada, e conduzi-la para casas de parentes.

A Defesa Civil do município também registrou uma queda de muro no Bairro Solar da Serra, risco de queda de muro de arrimo na Vila Marchetti e uma casa com risco de desmoronamento no Bairro Senhor dos Montes.

Os bombeiros informaram que o Rio das Mortes saiu do leito em alguns pontos. No Bairro Colônia do Gaiarola, o Rio Carandaí também transbordou e inundou algumas ruas.

A prefeitura suspendeu as aulas em cinco escolas municipais da zona rural até a próxima segunda-feira (17).

Lima Duarte

A Prefeitura de Lima Duarte decretou na terça-feira situação de emergência em função do grande volume de chuva que atingiu o município.

As aulas nas escolas Padre Carlos e Francisco Augusto de Oliveira, localizadas no distrito de São domingos da Bocaina e Conceição de Ibitipoca, respectivamente, foram suspensas a partir desta quarta-feira , assim como o transporte escolar da zona rural, sem previsão de retorno.

Juiz de Fora

Em Juiz de Fora, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), choveu na cidade um acumulado de 77,6 milímetros durante a madrugada desta quinta-feira.

No Bairro Santa Cecília, o Corpo de Bombeiros foi acionado para atender uma ocorrência de queda de muro. No local, foi verificado que ocorreu um deslizamento de terra que empurrou um muro de contenção sobre algumas pilastras de um prédio no local.

A Defesa Civil compareceu ao local durante a madrugada e constatou, na primeira vistoria, que não houve dano estrutural no prédio e nem em um edifício acima dele. Entretanto, a equipe orientou que os moradores não permaneçam nas residências durante a noite.
Uma nova equipe comparecerá ao local nesta manhã para uma nova avaliação da estrutura do edifício. O G1 entrou em contato com a Prefeitura de Juiz de Fora para saber se outros bairros foram atingidos porém, até a última atualização desta reportagem, não obteve retorno.

Tabuleiro

Em Tabuleiro, o temporal começou durante a parte da tarde de quarta-feira e alagou algumas partes da cidade.
De acordo com a Prefeitura, os bairros São José, Botafogo, Passa Cinco e Igrejinha do Acácio estão sem acesso.


O Corpo de Bombeiros informou na manhã desta quinta que equipes foram enviadas para atender uma ocorrência de inundação com pessoas ilhadas.
A Prefeitura afirmou que não há desalojados e desabrigados na cidade.

Guiricema

Em Guiricema, a Defesa Civil informou que o Rio dos Bagres encheu e inundou alguns pontos da cidade na manhã desta quinta-feira (13).
O Corpo de Bombeiros informou que realizou um corte de uma árvore, que obstruiu uma rodovia que liga Guiricema a São Sebastião da Vargem Alegre.

Até a última atualização desta reportagem, não havia informações sobre desalojados ou desabrigados.

Barbacena

Em Barbacena, segundo o Inmet, o acumulado de chuvas durante a madrugada desta quinta-feira foi de 74,2 milímetros.

Os bombeiros informaram que, na Vila Irene, uma família ficou presa dentro de casa por conta de inundações. Eles foram retirados e levados para casas de parentes.

Na MG-135, próximo ao Bairro Aeroporto, houve queda de árvores.
Na manhã desta quinta-feira, todo o efetivo do Corpo de Bombeiros de Barbacena trabalha para atender ocorrências por conta da chuva. Na Vila Pereira, uma queda de árvore ameça uma residência.

No Bairro Santa Cecília, há risco de desabamento de residência na Rua Paulo de Oliveira Costa. Também há risco de desabamento de casa por conta de uma queda de árvore na Rua Geraldo Magela Alvim, no Bairro João Paulo II.
Recreio

Em Recreio, os bombeiros informaram que foram registrados deslizamentos de terra em alguns pontos da cidade.

O Centro de Recreio ficou completamente inundado na manhã desta quinta-feira. Ainda não há registro de desabrigados ou desalojados. Os militares estão empenhados para retirar moradores que estão ilhados.

Santos Dumont

Em Santos Dumont, foi registrado pelos bombeiros um deslizamento de barranco que atingiu parte de uma residência de dois pavimentos.
O Corpo de Bombeiros avaliou o local e esvaziou a residência e outras duas casas como medida preventiva. A Defesa Civil informou que só iria no local pela manhã desta quinta-feira.
Os moradores esperaram o parecer técnico do órgão para retornar para as casas.

Muriaé

Em Muriaé, segundo a Defesa Civil, choveu em cinco horas cerca de 120 milímetros.

Os rios Muriaé e Preto subiram mais de 1,5m com a chuva. Em alguns pontos, o rio saiu da calha, como na Rua Elias Paulo, na Barra, e no Patrimônio São José, onde houve queda de barranco na rua principal do bairro.

A equipe da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social segue para o Patrimônio São José e outras áreas afetadas, para auxílio às famílias. A Secretaria de Obras também está no bairro.

As equipes das secretarias de Obras e Desenvolvimento Social informaram que estão nas ruas para auxiliar as pessoas atingidas pelas chuvas. Os agentes da Defesa Civil também estão em campo para vistorias e verificação do nível dos rios.

Devido ao alerta de deslizamentos, a Defesa Civil solicita que moradores próximos a encostas mantenham monitoramento constante, e entrem em contato imediatamente, caso necessário.

De acordo com a pasta, há previsão de precipitações intensas até a tarde desta quinta-feira e que, a partir de sexta-feira (14), a chuva diminua de intensidade. Como houve chuvas volumosas nos municípios a montante de Muriaé, a tendência é que a água dos rios continue subindo.

Ervália

Em Ervália, de acordo com a Polícia Militar (PM), o acesso até a cidade através da BR-356 por Muriaé está comprometido por conta de inundações na pista.

O acesso por Coimbra também está com interdições, próximo ao restrito de quartéis. A estrada Ervália-Coimbra já estava comprometida desde janeiro quando duas crateras se abriram no local também por conta das chuvas.

A Copasa informou que o fornecimento de água na cidade está interrompido desde a manhã desta quinta-feira (14) e só há previsão de conclusão dos serviços na sexta-feira (14).

A prefeitura suspendeu as aulas da rede municipal nesta quinta e sexta-feira. Não há informações sobre feridos ou desabrigados por conta das chuvas.

Imprimir