A Vigilância Sanitária de Córrego Fundo iniciou o ano com um alerta para a prevenção de hepatites virais. O alerta tem como finalidade orientar sobre os métodos de prevenção contra a doença e seus tipos.

A hepatite é uma inflamação no fígado que pode alterar o seu funcionamento, colaborando para o aparecimento de cirrose, câncer e outras doenças. Existem várias formas de hepatite. As mais comuns são as virais.

A hepatite pode ser transmitida por meio de contágio fecal-oral, em razão de condições precárias de saneamento básico e água, de higiene pessoal e dos alimentos (vírus A e E); e por transmissão sanguínea, seja pela prática do sexo desprotegido, compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos que furam ou cortam (vírus B, C e D); ou da mãe para o filho durante a gravidez, o parto e a amamentação (vírus B, C e D).

Em grande parte dos casos, as hepatites virais são doenças silenciosas, o que reforça a necessidade de ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam os vários tipos de hepatites. Geralmente, quando os sintomas aparecem a doença já está em estágio mais avançado. E os mais comuns são: febre; fraqueza; mal-estar; dor abdominal; enjoo/náuseas; vômitos; perda de apetite; urina escura (cor de café); icterícia (olhos e pele amarelados); fezes esbranquiçadas.

 Os principais cuidados

 A Vigilância Sanitária de Córrego Fundo alerta que os principais cuidados para evitar o vírus são:

 Nos casos da transmissão oral-fecal:

higienização das mãos, utensílios e alimentos.

– as frutas e verduras que não podem ser lavadas com água e sabão devem ser submetidas, antes de serem utilizadas, a limpeza com água sanitária, sendo uma colher das de sopa por litro de água, durante 10 minutos.

 Quanto aos vírus de transmissão parenteral:

– devem ser evitadas  situações  onde  possa  haver contato acidental com materiais ou sangue contaminados, tais como:      uso de instrumental cirúrgico  ou  odontológico  não  descartável  ou  não  esterilizado  corretamente;  compartilhamento de agulhas  e  seringas contaminadas, lâminas de barbear,  alicates  de  cutículas, escovas  de  dentes  e outros  equipamentos  de  higiene  pessoal  (principalmente por crianças); tatuagens, piercings ou acupuntura realizados com materiais não descartáveis  ou  não  esterilizados corretamente; relação sexual sem camisinha.

IMPRIMIR

Fonte:

Prefeitura de Córrego Fundo