Neste sábado (9), de 9h às 12h, será realizada na praça Getúlio Vargas, no Centro de Formiga, uma blitz educativa pelo Dia Internacional da Mulher, comemorado anualmente no dia 8 de março.

O evento de conscientização está sendo organizado pela Secretaria de Desenvolvimento Humano, por meio do Creas e dos Cras e contará ainda, com a parceria da Irmandade das Flores.

“Vamos focar na questão da violência contra a mulher. O objetivo é conscientizar a população sobre a necessidade de que cada cidadão se mobilize para evitar esse tipo de crime”, comentou Greicielly Ribeiro Couto, coordenadora do Creas.

Dia Internacional da Mulher

O Dia Internacional da Mulher tem um histórico de muita luta e representatividade, e é por essa busca por igualdade de direitos que uma data específica foi estipulada. Em 1909, o primeiro Dia da Mulher foi instaurado nos Estados Unidos a partir da sugestão da ativista e educadora Theresa Malkiel. Mas ainda não era mundial.

Ela foi uma das várias que lutaram pelo direito ao voto em uma época muito conservadora e marcada pelos discursos machistas. Duas mil pessoas foram às ruas. No ano seguinte, a alemã Clara Zetkin foi ao II Congresso de Mulheres Socialistas (realizada em Copenhague, naquele tempo), e debateu o estabelecimento desse dia para todos os países do mundo.

Logo após isso, em 1911, a organização do grupo Internacional Socialista quis proclamar o Dia da Mulher para reconhecer a causa feminina, ao passo que multidões de mulheres manifestavam nas ruas de outros países e exigiam mais direitos e visibilidade no trabalho.

Mas quem realmente conseguiu avançar nesse quesito foram as russas, que invadiram as ruas de Moscou, em 1917, em repúdio à Primeira Guerra Mundial e à extrema pobreza que o país enfrentava naquele momento crucial. O governante da época, Nicolau II, cedeu à pressão feminina e lhes garantiu o direito de voto.

 

Fonte: Com informações do portal M de Mulher||

print

Comentários