Um tenente do exército, de 41 anos, teve 20% do corpo queimado após ser vítima de uma explosão em uma fábrica clandestina de fogos de artifício, em Santo Antônio do Monte, nessa terça-feira (24).

De acordo com o portal G1, o Exército informou nesta quarta-feira (25), que o estado de saúde do militar é estável. Ele está internado no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Ainda segundo o Exército, o militar estava na fábrica para apurar denúncia de funcionamento clandestino do local.

Fábrica clandestina

Após denúncia de fabricação clandestina de fogos de artifício, o tenente comprovou que a fábrica estava funcionando irregularmente.

Diante disso, foi orientado que fosse feito o descarte de aproximadamente 400 kg de pólvora, que estavam armazenados no local. No momento em que a pólvora era queimada, houve uma explosão e o tenente foi ferido na cabeça, rosto, mãos e pernas.

O Exército informou ainda, que, neste ano, mais de 200 fiscalizações foram feitas em lojas e fábricas de fogos de artifício na cidade e região.

Primeiros socorros

Inicialmente a vítima foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento de Santo Antônio do Monte, pelo Corpo de Bombeiros.

Posteriormente, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi chamado para levar o tenente até o Helicóptero Arcanjo, dos Bombeiros, que o transferiu para o João XXIII, em Belo Horizonte.

Segundo o Samu, o tenente estava consciente e estável.

Posicionamento Siemdg

O Sindicato das Indústrias de Explosivos (Sindiemg) informou que não tinha conhecimento do funcionamento desta fábrica.

O presidente do sindicato, Magnaldo Geraldo Filho, disse que a instituição tem conhecimento apenas das fábricas que são registradas.

Segundo Magnaldo, o polo de produção de produtos de fogos de artifício de Santo Antônio do Monte, conta com 56 fábricas legalizadas. Destas, 26 são filiadas ao Sindiemg.

Fonte: G1

Imprimir
Comentários