A Volkswagen do Brasil afirma que 400 unidades entre os modelos Gol, Volkswagen e Voyage possam estar prejudicadas pelo problema detectado no motor 1.0 flexível EA-111que equipa os veículos. De acordo com o engenheiro responsável da companhia, José Loureiro, o problema está na lubrificação, já que a especificação do óleo sintético do motor foi modificada pela própria montadora em março de 2008.
O novo óleo está dando perda de lubrificação e danifica as peças, por isso os clientes reclamaram do barulho , explica Loureiro. Segundo ele, entre Voyage e Gol, 300 mil carros circulam com o novo lubrificante. Do modelo Fox, são 100 mil unidades. No entanto, Loreiro garante que o problema acontece em uma unidade a cada mil carros. Ou seja, do total, serão afetadas 400 unidades.
O problema não é do fabricante do óleo. O lubrificante foi trocado para melhorar o desempenho do carro, mas o motor tem dificuldade na lubrificação , afirma o engenheiro. Segundo ele, para resolver o problema a Volkswagen mudará novamente à especificação do óleo. José Loureiro não quis falar sobre a diferença de custo entre os dois óleos.
O presidente da Volkswagen do Brasil, Thomas Schmall, afirmou durante o evento de lançamento do novo Fox que a companhia irá se responsabilizar 100% pelo defeito. Vamos estender a garantia do motor de três para quatro anos, disse o executivo.
Agarantia significa trocar o propulsor. De acordo com Schmall, se a modificação for necessária, o custo da documentação do novo motor será coberto pelas revendedoras, que serão reembolsadas pela Volkswagen. Apesar disso, a empresa nega a necessidade de recall.
Para trocar a documentação de veículos com motores alterados, a taxa é de R$ 122,05 para os modelos já licenciados e de R$ 165,17 para os não licenciados. De acordo com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran), a mudança na documentação é necessária por causa do número do chassi que é gravado no motor.

IMPRIMIR