source

A expressão “viagem ao mundo” remete a conhecer diversos destinos e usar variados meios de transporte de uma vez. Porém, o grupo TT Travel inovou e está programando uma viagem ao redor do mundo de trem.

Leia também: Cruzeiro de volta ao mundo em 180 dias custará R$ 158 mil

trem arrow-options
Divulgação

A viagem de trem ao redor do mundo passará por três continentes, quatro países e 14 cidades

A viagem de trem durará 24 dias e passará por três continentes, quatro países e 14 cidades. A saída está marcada para o dia 15 de agosto de 2020 e o retorno em 6 de setembro de 2020. Ao todo serão aproximadamente 16 mil quilômetros sobre trilhos num dos meios de transporte mais antigos da humanidade.

Mas o trem ultrapassa o oceano? Com certeza você deve ter pensando nisso ao ler “viagem de trem ao redor do mundo”. A resposta é simples: não. Para fazer a ligação entre os continentes, os turistas irão utilizar avião, já incluso no pacote da aventura.

Veja abaixo as principais atrações do itinerário:

CN Tower

toronto arrow-options
Divulgação/NR-7 Comunicação

A CN Tower, em Toronto, é o ponto de partida da viagem de trem

A CN Tower é a terceira estrutura mais alta do mundo e fica em Toronto, no Canadá . O edifício de 553,33 metros de altura tem em seu topo um restaurante 360 que possui uma das vistas mais bonitas da cidade.

Esse é o primeiro ponto de parada da viagem de trem. Por lá os turistas poderão experimentar pratos de gastronomia local e taças de vinho.

Glaciar Athabasca

glaciar arrow-options
shutterstock

Glaciar Athabasca é um ponto de parada no Canadá

Ainda no Canadá, os turistas poderão conhecer o Glaciar Athabasca. A aglomeração de neve nas montanhas rochosas tem aproximadamente 6 km de comprimento e cobre uma área de 6 km², com espessura que varia entre 90 a 300 metros.

Entre as atividades planejadas pelo local está o passeio de snowcoach, um veículo de transporte especializado para operar sobre neve e gelo. Os carros acomodam dez passageiros ou mais.

Glacier Skywalk

glacier arrow-options
shutterstock

O glacier skywalk “assusta” os turistas que visitam as montanhas rochosas canadenses

O Glacier Skywalk é uma plataforma projetada para fora de uma montanha rochosa canadense em forma de “U” (ou de ferradura). O chão é transparente e a sensação é de que o turista está andando em cima da neve nas montanhas.

O passeio é um dos primeiros da viagem de trem. O trecho das montanhas é feito no trem canadense, um dos três utilizados durante a expedição de volta ao mundo .

Grande Muralha da China

china arrow-options
shutterstock

Muralha da China é uma das Sete Maravilhas do Mundo

A Grande Muralha da China é uma das Sete Maravilhas do Mundo e está na segunda parte da viagem, quando os turistas aterrissam no continente asiático. Com mais de 21 mil metros de comprimento, a muralha é um dos pontos turísticos que pode desaparecer daqui alguns anos .

O ponto é aberto para visitação todos os dias da semana, das 7h30 às 17h30 e tem apenas quatro entradas autorizadas pelo governo chinês.

Parque Nacional Gorkhi Terelj

parque nacional arrow-options
shutterstock

O Parque Nacional Gorkhi Terelj é um destino na Mongólia que os turistas irão visitar

Na parada do trem na Mongólia, os turistas conhecerão uma família nômade da região do Parque Nacional Gorkhi Terelj. A ideia é aprender um pouco sobre a cultura e os costumes locais.

No assentamento de Terelj, local onde fica o parque nacional, é possível encontrar atrações turísticas, acampamentos, lojas e restaurantes.

Lago Baikal

lago arrow-options
Divulgação

O lago Baikal é o maior de água doce do mundo

O maior lago de água doce do mundo está no itinerário da viagem de trem. O lago Baikal fica na região da Sibéria e é o primeiro ponto na parada russa. Por lá o passeio fica a cargo do museu que conta toda a história das belezas e os encantos da flora e fauna.

Ainda no mesmo dia, ao entardecer, os turistas terão um jantar a beira do lago com música e shots de vodka russa.

Monastério Budista Ivolginsky Datsan

monastério arrow-options
shutterstock

O monastério Ivolginsky Datsan

O Monastério Budista Ivolginsky Datsan é um dos pontos de parada dos turistas que fazem a viagem de trem ao redor do mundo. No complexo do monastério é possível encontrar casas de estudo, residência dos monges e locais para reflexão e oração.

Para visitar o monastério é essencial fazer uma caminhada ao redor do complexo no sentido horário. Andar ao contrário é considerado falta de respeito. No local também se encontra o corpo do lama Dashi-Dorzho Itigilov, que faleceu em 1927.

Kazan

kazan arrow-options
shutterstock

O Kremlin de Kazan é um dos pontos turísticos da Rússia que estão no itinerário da viagem de trem

Na cidade de Kazan os turistas irão assistir ao show folclórico “Tugan Avalim”, que se refere a cultura tártara. Haverá também visitação ao Kremlin de Kazan, um edifício construído entre os séculos X e XVI as margens do rio Kazanka.

A cidade de Kazan é a sexta mais populosa da Rússia e um dos grandes centros culturais, comerciais e industriais do país.

Kremlin em Moscou

moscou arrow-options
shutterstock

Moscou é a última cidade da viagem de trem ao redor do mundo

A última parada da volta ao mundo de trem é em Moscou. A capital da Rússia traz algumas atrações para os turistas como o Kremlin, sede do governo local; a catedral de São Basílio e o Mausoléu de Lenin.

Leia também: Viagem de trem na Europa – 3 roteiros para conhecer as principais cidades

Quanto custa a viagem de trem ao redor do mundo?

A viagem de trem custa a partir de € 16.530 (R$ 74.706*) por pessoa em acomodação dupla, incluindo 14 noites a bordo dos trens, oito noites em hotéis, 59 refeições, jantar de boas-vindas, trecho aéreo em classe econômica Air Canada de Vancouver a Pequim e city tour, além dos passeios descritos acima. Durante a viagem os passageiros ainda terão um guia brasileiro.

Fonte: IG Turismo
Imprimir