Um vulcão na ilha italiana de Stromboli entrou em erupção nesta quarta-feira (3), deixando um turista morto, segundo informações da agência de notícias italiana Ansa obtidas pela BBC.

A vítima morreu enquanto caminhava em direção ao cume do vulcão em Stromboli, afirmou Marco Giorgianni, o prefeito de Lipari, à Ansa.

Ao entrar em erupção, o vulcão lançou cinzas no céu e envolveu o popular destino turístico em fumaça, informou o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia (INGV), segundo a Reuters.

Os serviços de resgate disseram que a erupção iniciou incêndios no lado oeste da pequena ilha mediterrânea, ao norte da Sicília. Equipes de bombeiros de locais próximos foram chamadas e um avião foi posto em ação.

 

“Nós vimos a explosão do hotel. Houve um rugido alto”, disse Michela Favorito, que trabalha em um hotel perto de Fico Grande, no lado leste da ilha. Todo o céu está cheio de cinzas, uma nuvem bastante grande ”, disse Michela à Reuters.

Fiona Carter, uma turista britânica na ilha de Panarea, a cerca de 27km de Stromboli, ouviu a explosão.

“Nós vimos uma nuvem vindo de Stromboli. Todos estavam em choque. Então a lava vermelha começou a descer a montanha em direção à pequena vila de Ginostra”, contou Fiona à agência.

“A nuvem ficou maior, branca e cinza. Envolveu Ginostra e agora a nuvem cobriu Stromboli por completo”, relatou.

Stefano Branca, especialista do INGV, disse à Reuters que houve uma “erupção paroxística” na ilha, quando o magma de alta pressão explode em um reservatório subterrâneo. “Estes são eventos de grande intensidade e muito raros”, afirmou Branca.

Turistas costumam escalar até o cume de 924 metros do vulcão e espreitar sua cratera, com pequenas nuvens de rocha fundida sendo lançadas regularmente no céu. Não ficou claro se alguém estava na cratera no momento da explosão.

Segundo o site geology.com, Stromboli é um dos vulcões mais ativos do planeta e está em erupção quase contínua desde 1932.

A ilha foi o cenário de um filme de 1950 estrelado por Ingrid Bergman e, com outras ilhas do arquipélago das Eólias, tornou-se um local favorito nas últimas décadas para casas de férias dos ricos e famosos.

Imprimir

Fonte:

G1