Comprado pelo Facebook em 2014 por cerca de US$ 22 bilhões, o WhatsApp ainda não havia encontrado uma maneira de lucrar. Até hoje.

Segundo informações da agência Reuters, o serviço de mensagens, que reúne mais de R$ 1,5 bilhões de usuários em todo mundo, anunciou que vai passar a usar sua versão empresarial – o Whatsapp Business – para ganhar dinheiro. Como? Cobrando das empresas que demorarem a responder o cliente.

Isso significa que os empreendimentos terão prazo máximo de 24 horas para tirar as dúvidas, responder os comentários e fornecer informações solicitadas por seu público. Caso levem mais tempo para atender a essas demandas, terão que pagar pela interação.

O valor cobrado por cada mensagem tardia vai variar de U$ 0,05 a U$ 0,09 centavos de dólar, dependendo do país. O valor é substancialmente superior ao cobrado pelas operadoras de telefonia móvel para envio de SMS, que não costuma ultrapassar 1 centavo de dólar.

Outro recurso já liberado pela versão de negócios do aplicativo, que tem cerca de 3 milhões de perfis cadastrados, é o envio de informações sobre entrega de produtos, lembretes de compromissos e ingressos para eventos. As empresas, contudo, só poderão entrar em contato com pessoas que já tenham iniciado com elas alguma conversa ou que solicitarem a abordagem virtual.

Ainda sem data de “estreia” no Brasil, a novidade já começou a ser testada há alguns meses com 90 empresas, entre elas Uber, Wish e a companhia aérea Singapura Airlines.

Imprimir

Fonte:

Uai