O adolescente Pablo Henrique da Silva Matos, de 14 anos, vítima do incêndio que atingiu o CT do Flamengo, foi enterrado no Cemitério Municipal São Miguel, em Oliveira, no fim da tarde desse sábado (9).

O velório, antes previsto para as 14h, sofreu atraso de duas horas e foi iniciado por volta das 16h, quando o corpo chegou do Rio de Janeiro à cidade no Centro-Oeste de Minas. Familiares e amigos tiveram pouco mais de uma hora e meia para se despedir do adolescente, que foi enterrado por volta das 17h50.

Pablo, de apenas 14 anos, era natural de Oliveira e atuava pelo sub-15 do Flamengo desde agosto de 2018. Segundo um ex-técnico, o adolescente teve passagens pelo Atlético-MG e pela Inter Academy, programa oficial da Inter de Milão, em Divinópolis.

Família abalada

Enquanto ainda aguardava a chegada do corpo, um dos primos de Pablo, Alex da Silva, contou para a reportagem da TV Integração, abalado, como a família reage aos acontecimentos.

“A gente não queria nem acordar hoje, parecia um pesadelo, ninguém acredita. Um menino que sempre estava presente com a gente enquanto estava de férias. Eu, por exemplo, ia para a casa dele todos os dias, chegava lá jogávamos vídeo game. A gente era muito ligado, é uma perda que não tem nem explicação o que a gente está sentindo”, disse.

Camisa foi feita em homenagem ao jovem zagueiro (Foto: Flaviane Oliveira/TV Integração)

O jovem zagueiro era mais uma esperança do avô João Ricardo da Silva, que também jogava futebol, de ter um atleta profissional na família, a exemplo do outro neto Werley, zagueiro do Vasco.

“O coração está massacrado porque a gente esperava tudo de bom que podia acontecer na vida dele e aí acontece essa tragédia. Fica difícil para todo mundo. Ele ia ser uma promessa mesmo, jogava muito bem”, lamenta o avô.
A carreira no futebol, interrompida de forma precoce, rendeu ao garoto muitos amigos que carregavam o mesmo sonho. O auxiliar técnico do Social – time da cidade, Lourival dos Santos, que acompanhou os primeiros passos do menino, descreveu a perda como irreparável.

“Quando ele foi para o Flamengo todo mundo ficou feliz, essa garotada que está aqui hoje é uma família e o nosso sonho foi embora junto com ele. Não tem palavra para dizer, dói muito”.

Outro primo do adolescente, Thales Gomes de Souza, manifestou o sentimento de justiça com relação ao ocorrido no Rio de Janeiro.

“Não foi uma tragédia, foi algo que poderia ter sido evitado e ele podia estar aqui com a gente sendo o que ele sempre foi. Fica na lembrança aquela humildade que só ele tinha, era um menino de ouro, só quem conhecia sabe”.

Incêndio

O incêndio atingiu o alojamento no Ninho do Urubu, na Zona Oeste do Rio, no início da manhã desta sexta-feira. Jovens atletas do Flamengo estão entre os dez mortos.

As chamas atingiram as instalações onde dormiam jogadores entre 14 e 17 anos que não residiam no Rio. Às 9h50, a polícia chegou ao Ninho do Urubu para fazer a perícia. Um inquérito foi instaurado na 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes) para apurar as causas do desastre.

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e a Prefeitura de Oliveira decretaram luto oficial de três dias por causa do incidente.

IMPRIMIR

Fonte:

G1