O governador Romeu Zema afirmou, nesta quinta-feira (8), que o risco de falta de sedativos em Minas tem preocupado o governo. Segundo ele, a situação é crítica e que “notícias desagradáveis” podem chegar caso o fornecimento não seja normalizado. “Corremos risco de pacientes intubados acordarem por falta de sedativo”, disse.

Em entrevista coletiva, o governador afirmou que as unidades de saúde costumavam trabalhar com estoque para 60 dias, prazo que foi reduzido para “um ou dois dias”. Segundo Zema, o problema aconteceu por uma mudança no Ministério da Saúde. A pasta fez uma requisição específica administrativa na indústria, tendo acesso à toda a produção de sedativos, mas sem distribuir na velocidade adequada. 

“Temos de salientar que a indústria triplicou a produção, mas o consumo aumentou dez vezes. Temos tentado importar, mas faltam insumos”, afirmou o governador.

Fonte: O Tempo

Imprimir
Comentários