Com o caixa no vermelho e ainda sem conseguir aprovar a reforma administrativa, o governador Romeu Zema (Novo) fez um apelo aos demais poderes e órgãos públicos pela economia nos gastos.

“Somos servidores públicos e temos o dever de defender o interesse de 21 milhões de mineiros”, discursou o governador em Ouro Preto, durante a solenidade de entrega da Medalha da Inconfidência.

Ao lado dos presidentes da Assembleia Legislativa, Agostinho Patrus (PV), e do Tribunal de Justiça, desembargador Nelson Missias, Romeu Zema argumentou que atualmente os mineiros sofrem com a falta ou má qualidade de serviços básicos, como a saúde e a educação. “Os mineiros estão clamando por responsabilidade e zelo com o dinheiro público. Não podemos fingir que não estamos escutando o apelo dos mineiros. E só há uma direção: temos que fazer um pacto para salvar o estado com diálogo e união”, completou o governador.

“Temos que fazer um pacto pela recuperação financeira. Um estado sem dinheiro está condenado a ficar inoperante em um buraco profundo”, argumentou. O governador ressaltou ainda que o diálogo deve ser feito sem qualquer bandeira partidária.

 

IMPRIMIR

Fonte:

Estado de Minas