Priscila Rocha 

A falta de limpeza nas margens dos rios, lotes e ruas, juntamente com a má educação de parte da população no que diz respeito ao descarte do lixo, ao que parece, se tornou um problema permanente em Formiga.

Há exatos oito meses, uma moradora da  rua Enerstino Augusto da Costa, no bairro Bela Vista, procurou o jornal trazendo nas mãos um Boletim de Ocorrências, de número 2015026520542-001, e  um pote contendo um escorpião amarelo, vivo, de tamanho considerável.

O portal divulgou matéria sobre a situação da via em dezembro de 2015. Na quinta-feira (11), Paula Cristiane Nunes procurou novamente o jornal.  Segundo a moradora, apesar de ter registrado um B.O., ter solicitado providências na Secretaria de Gestão Ambiental e no Ministério Público, o problema persiste: escorpiões, aranhas, ratos e baratas se tornaram visitantes comuns das residências localizadas nas proximidades do lote.

Nesta semana, Paula encontrou um escorpião na residência dela, próximo ao filho de dois anos. “Meu filho está na fase da curiosidade, tudo que vê quer pegar e essa semana me deparei com ele no quarto tentando pegar um escorpião enorme. Ele é uma criança alérgica, faz tratamento em Divinópolis e toma injeção mensalmente, se for picado por um animal peçonhento não resiste”, disse Paula.

No final do ano passado, os moradores da via procuraram a Secretaria de Gestão Ambiental, solicitando que o proprietário do lote fosse notificado para realizar a limpeza do local, mas foram informados que o terreno está dentro de uma Área de Preservação Permanente (APP). “O lote que compreende um quarteirão da via é repleto de minas e segundo nos informaram, nada pode ser feito no local sem a autorização do MP”, informou a moradora.

“O local possui diversos proprietários, alguns deles se prontificaram a limpar o matagal, mas não tiveram autorização para realizar o serviço”, explicou.

Paula informou ainda que além do entulho, um sofá foi descartado no local e virou moradia para cães de rua. “Agora além dos animais peçonhentos, minha casa está repleta de carrapatos enormes, devido à presença dos cachorros. O que estava ruim, definitivamente piorou”, disse.

Para tentar amenizar o problema os moradores da via ateiam fogo no meio fio para afastar os animais, mas devido ao tempo seco e ao risco do fogo se alastrar e atingir as residências, o Corpo de Bombeiros contém as chamas. “Acredito que as pessoas denunciam, por isso, o Corpo de Bombeiros sempre aparece e apaga o fogo, mas essa é a única solução que encontramos. O que nós moradores queremos é apenas que seja feita a limpeza dos lotes. A rua é cheia de crianças menores de 10 anos. Nós não temos sossego, pois  vivemos com medo de ver uma criança ser picada por um escorpião ou aranha. A maioria dos moradores está deixando as casas completamente fechadas para evitar que os animais entrem”, finalizou Paula.

O portal entrou em contato com a Prefeitura, mas não obteve resposta.

(fotos: divulgação)

Imprimir

Comentários